Edição do livro "Sergio Magalhães e suas trincheiras"

ID da vaquinha: 104970
Edição do livro "Sergio Magalhães e suas trincheiras"
Roberto Bitencourt da Silva
rio de janeiro / RJ
Arrecadado
R$ 900,00
Meta
R$ 4.200,00
Apoiadores
0
Encerrada
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou

ATUALIZADO EM 04/05/2017:

O livro saiu da gráfica! Em breve o lançamento!

O livro "Sergio Magalhães e suas trincheiras: nacionalismo, trabalhismo e anti-imperialismo - uma biografia política" corresponde a um trabalho biográfico sobre uma das mais expressivas e esquecidas lideranças das esquerdas nacionalistas, dos anos 1950 e 1960: Sergio Magalhães.

O trabalho visa resgatar a memória de um relevante líder político e engenhoso pensador das esquerdas brasileiras, norteado por ideias anti-imperialistas e nacionalistas, tão necessárias à reflexão sobre o Brasil. Talvez mais ainda em nossos dias.

O livro encontra-se em pre-venda e pode ser adquirido por meio da compra neste link: https://www.vakinha.com.br/…/edicao-do-livro-as-trincheiras…

Formas de compra::
》R$ 51,00 (com postagem para o território nacional já incluída).

》R$ 75,00 (com postagem para o território nacional já incluída) = Dois (2) livros: "Alberto Pasqualini: trajetória política e pensamento trabalhista" e "Sergio Magalhães e suas trincheiras: nacionalismo, trabalhismo e anti-imperialismo - uma biografia política".

Mas, quem foi Sergio Magalhães?
Ele foi um importante político que teve três mandatos consecutivos como deputado federal (1955-1964), pelo Partido Trabalhista Brasileiro da cidade do Rio de Janeiro. Disputou a eleição para o governo do antigo estado da Guanabara em 1960, contra Carlos Lacerda. Perdeu por pequena margem de votos. Foi também uma das principais lideranças das esquerdas brasileiras, nas décadas de 1950 e 1960.

Desempenhou as funções de vice-presidente da Câmara dos Deputados (1959-61), tendo sido um dos mais ativos integrantes da Frente Parlamentar Nacionalista, formada na Câmara, em 1956. Foi o presidente da FPN no candente intervalo dos anos de 1963 e 1964. Teve os seus direitos políticos suspensos e o seu mandato parlamentar cassado, nos primeiros dias da ditadura instaurada, nos idos de abril de 1964.

Sergio Magalhães formulou e defendeu decisivos projetos parlamentares que visavam disciplinar a participação do capital estrangeiro na economia nacional, de sorte a favorecer o alcance dos propósitos de um “desenvolvimento autônomo” para o país e a “emancipação econômica frente ao imperialismo”, conforme reverberava. Foi o mais destacado personagem político que atuou em torno do assunto.

Um tema que alcançou enorme repercussão pública, mobilizando corações e mentes nas esquerdas e nos movimentos sociais. Representa uma das variáveis que se encontra na raiz do golpe civil-militar de 1964.

Ademais, apoiava e incentivava uma ativa intervenção popular democrática nos processos decisórios da sociedade e do Estado, concebendo a ideia e estimulando a influência popular e sindical na construção da agenda política e da opinião pública.

Sergio Magalhães destacou-se também pelo exercício de uma intensa atividade intelectual. Publicou livros e artigos que abordavam os seus projetos parlamentares e os seus diagnósticos acerca dos entraves ao desenvolvimento social e econômico do país. Com regularidade, publicou também artigos de opinião em jornais dotados de linha editorial progressista – O Semanário e Última Hora.

Hoje, a reflexão em torno da chamada questão nacional foi colocada de lado no Brasil. Trata-se de foco decisivo do imaginário nacionalista de esquerda dos anos 1950-1960, inclusive da atuação política e dos escritos de Sergio Magalhães. A questão nacional, desafortunadamente, deixou de merecer atenção. Na contramão, o personagem articulava a dimensão da soberania política e tecnológica do país com as questões sociais distributivistas e igualitárias. Uma perspectiva que tendeu a ser silenciada após a implantação da ditadura civil-militar de 1964, empobrecendo o debate público nacional em torno das nossas mazelas e dos nossos desafios.

Leia um trecho do livro: https://issuu.com/paco_editorial/docs/sergio_magalhaes

________

Sobre o autor do livro:
Roberto Bitencourt da Silva
É pós-doutorando em História (UFF), doutor em História (UFF), mestre em Ciência Política (UFRJ) e professor da Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro – FAETERJ-Petrópolis/FAETEC e da SME-Rio.
É autor do livro "Alberto Pasqualini: trajetória política e pensamento trabalhista", EdUFF: Faperj, Niterói: Rio de Janeiro, 2013.
Possui artigos publicados em diferentes periódicos acadêmicos - abordando temas relativos às áreas de História, Comunicação e Ciência Política - e tem escrito em webjornais alternativos, mantendo coluna de opinião no Diário Liberdade e blog no portal de notícias GGN (http://jornalggn.com.br/blogs/roberto-bitencourt-da-silva).
Link currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7598587796780471

Denunciar essa vaquinha
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.
Elementos SVG

Curta e compartilhe nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados. 2019