Projetos / Produtos

Reforma, conservação e manutenção da sede Grupo Gay da Bahia

ID da vaquinha: 1807683
Reforma,  conservação  e manutenção da sede Grupo Gay da Bahia
URL copiada!
19%
Arrecadado
R$ 5.820,00
de
Meta
R$ 30.000,00
Apoiadores
16
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

Ajude a reforma,  conservação  e manutenção do Grupo Gay da Bahia.

Atividades na sede Pelourinho, professores.

Conheça a contração de nossa história.

Salão principal em 25/04/04  por contas chuvas  e problemas no teto.

Precisamos muito de sua boa vontade, especialmente agora por conta da pandemia e de um momento politico de extremos e delicado em relação a nossa população.  Uni-vos!  A união faz o açúcar e juntos a gente pode fazer a diferença. 

Inundação no térreo onde fico almoxarifado . 
QUANDO OUSAMOS EXISTIRItinerários fotobiograficos do Movimento LGBTI .

O Grupo Gay da Bahia (GGB) foi fundado em fevereiro de 1980, pelo professor antropólogo Luiz Mott. A motivação foi por quê Luiz andava pelo calçadão do Farol da Barra com seu companheiro, Aroldo, sociólogo, Mott  recém-chegado a Salvador, vindo da UNICAMP,  como professor convidado pela UFBA, foi agredido covardemente com um soco no rosto por um homem, porque ele andava de mãos dadas com o namorado. Luiz, jovem antropólogo viu que precisava fazer alguma coisa, fundou o GGB.

Salão principal sede Pelourinho.

 

Ele veio para Bahia,  de Campinas, onde substituía a professora Ruth Cardoso, por quê ele era fascinado ainda  é, por Salvador, a cultura, o povo. Ele realizou uma atitude simples e prática para começar o combate. 

Mural
Concurso de Fantasia Gay do Carnaval de Salvador.

Publicou um anúncio no jornal gay o Lampião da Esquina, do Rio de Janeiro, editada por Agnaldo Silva, jornal ultra de esquerda, convidando as bichas da Bahia para rodarem a baiana. Lampião, tinha uma circulação nacional,  então foi surgindo alguns membros. O GGB tem uma coleção encadernada. Assim, como a revista Rose, Suigeneris, Homens... 

Fachada , Rua Frei Vicente, 24

A filosofia inicial do GGB foi baseada no anarquismo, contou com uma grande ajuda do grupo Inimigo do Rei, que cedeu a sua sede no Relógio de São Pedro, Centro de Salvador, para as  primeiras reuniões com as bichas. As reuniões aconteciam lá, e com muito medo da repressão da época.

Atividade da Parada  / terceira sala Museu Erótico.

O GGB, para ser registrado como instituição, teve que entrar com pedido ao Judiciário baiano, por que o Cartório se recusou a fazer o registro do estatuto, alegando que teríamos que ter autorização de funcionamento da Polícia Federal. De posse da liminar, conferida pelo Juiz, Mott pode registrar o Grupo como pessoa jurídica em 1982.  Foi um escândalo, um grupo de viados com CNPJ. Enfrentamos tudo, ódio e a perseguição de jornalistas da grande mídia local.   

Luiz Mott, fundador.

A primeira sede do grupo, foi no edifício Derby na escadaria da Barroquinha, era uma kitnet, e as pessoas ficavam muitas vezes do lado de fora, porque não tinha espaço físico. Era tanta bicha, as reuniões era a noite, quando elas saiam era uma grande lacração.    O Grupo se comunicava através de uma caixa postal nos Correios e toda a nossa comunicação era feita por mimeógrafo que imprimia em uma cor só.

Da Barraquinha, fomos para a rua do Sodré Dois de Julho, um casarão antigo ao lado do Colégio Ipiranga, nessa nova sede funcionamos por muitos anos com reuniões duas vezes na semana, sempre a noite, e atendimento diário as pessoas. Do  bairro 2 de julho fomos para o Pelourinho onde funcionamos hoje, com  plantões alternados, agora nesse momento.

Arrombamento e roubo na nossa sede na Rua do Sodré, uma grande perda de nossa historia. 

Após mudarmos para o Pelourinho,  nossa sede no  bairro 2 de julho, foi arrombada e grande parte do nosso arquivo material foi destruído, mas recuperamos muita coisa como jornais de época, correspondência, revistas e fotografia.

Direitos Humanos.

O GGB é o grupo mais antigo em funcionamento na América Latina, com 41 anos de ativismo e trabalho social, sobretudo em Direitos Humanas e saúde,  como éramos filiados a ILGA americana, recebíamos logo informações  atuais sobre o vírus HIV e como prevenir, anos 80 e 90, período critico da pandemia. 

Luta para a saúde.

Foi uma luta árdua, por quê AIDS era esquematizada junto com a discriminação, que hoje chamamos de LGBTfobia. Fazemos a prevenção distribuindo preservativos que recebíamos dos Estados Unidos, através da USAID/Benfam, as vezes também pelo Correios de doadores particulares estrangeiros. Foi difícil, porque havia uma rejeição do preservativo, por algumas lideranças, elas achavam que a camisinha era a interferência medica na sexualidade gay,  o GGB defendia o uso, e falávamos em Safer Sex, influência das bichas americanas. ate hoje, estimamos ter distribuído mais de 2 milhões de preservativos na sede, em intervenções, em palestras, no Carnaval.    

As coisas só  eram possíveis através da determinação,  esforço e apoio  financeiro de Mott, depois um apoio pequeno da Kimeta Society do Canada, uma doação que pagávamos a caixa  postal e outras coisas pequenas da entidade.

O motivo desta vaquinha, é para captar recursos financeiros para fazermos reparos e manutenção em nossa sede institucional que fica na Rua Frei Vicente 24, no Pelourinho.  É um imóvel tombado pelo Ipac, com pandemia a nossa sede ficou fechada por muito tempo muita coisa se deteriorou. 

Caracterização da ajuda .

Beijo / protesto 

Com isso as paredes mofaram, a pintura se perdeu com ação do  tempo, fiação elétrica, telefone, o telhado que é composto de telhas de cerâmica e madeira está deteriorado pela ação dos cupins, precisando urgentemente de manutenção em todo o prédio o que é composto de pátio interno, primeiro piso  térreo que funciona almoxarifado e cozinha, segundo piso que conta a recepção e um grande salão de reuniões e eventos, mezanino onde funciona o escritório.

 Não temos recursos para fazer a reforma e tememos muito com a chegada do inverno, precisamos de ajuda urgente para quê o imóvel não se decomponha com ação do tempo, especialmente da chuva. 

Descrição do que precisamos. 

1) piso interno e pátio; 2) paredes, pintura e prevenção de umidade;  3) telhado, madeira e telhas, tratamento contra cupins; 4) museu erótico; 5)fiação elétrica., o Pelourinho tem muita unidade e fiação elétrica, telefone  e de internet acabam se deteriorando porque os tubos enchem de agua.   

Parada do Orgulho.

A pandemia parou tudo.

Por conta da pandemia, interrompemos as nossas atividades na sede, ao exemplo do consultório psicológico, atendimento as pessoas, e distribuição permanente de preservativos, agora nesse momento nós estamos retomando algumas  atividades presenciais atendendo os protocolos. Realizamos a 19 Parada do orgulho LGBT da Bahia  2021 de forma virtual, abordou a pandemia e o racismo.

O GGB tem a iniciativa do Museu Erótico que  iniciou a catalogação de diversas representações artísticas e populares nas áreas de escultura, pintura, livros e utensílios alusivos ao erotismo em todos os Estados do Brasil, além do México, Peru e Guatemala.

 

O GGB é parte importante da nossa cultura LGBT da  Bahia e é patrimônio imaterial do segmento no Brasil que é preciso preservar a nossa historia de lutas e conquistas.  

Escultura em bronze/ mulher Museu Erótico,  sede do GGB. Franca
28 de junho dia gay.
Protesto em Massarandupió, Bahia, que proibia entrada de gays naturistas.

 

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021