Cover whatsapp image 2019 04 10 at 01.59.36
Thumb whatsapp image 2018 11 05 at 21.50.12

Vakinha de
Yasmin Rodrigues Reis
Belo Horizonte/MG

YASMIN EM STANFORD!

ID da vaquinha: 533272

Copiar url:

Objetivo
R$ 20.987,64
Arrecadado
R$ 9.695,00
$ contribua

Eu sou a Yasmin, tenho 15 anos e fui aceita em um curso de Biotecnologia e Biociências na Universidade de Stanford, em um processo seletivo com estudantes do mundo todo. Fui aprovada com uma bolsa de estudos que cobre metade do programa, mas minha família não pode arcar com custos referentes à outra metade, passagens e burocracia. Leia mais sobre minha história e saiba porque você deve me ajudar!

Criada em
10/04/2019
Encerra em
01/07/2019

   Obrigada por vir me conhecer! Meu nome é Yasmin Rodrigues Reis, tenho 15 anos de idade e sou de Belo Horizonte (Minas Gerais). Quarta-feira, dia três de abril de dois mil e dezenove, abri minha caixa de e-mails e encontrei lá uma carta de aceitação para um programa de verão na Universidade de Stanford, uma das melhores universidades do mundo! Fui aceita na minha primeira opção de curso: Biociência e Biotecnologia com ênfase em Nanobiomateriais. Além disso, fui agraciada com uma bolsa de 3.600 dólares (aproximadamente 50% do valor total do programa)! Apesar dessa grande conquista, minha família não pode arcar com o valor restante, as passagens e os custos de expedição dos documentos necessários. Continue lendo e entenda porque você PRECISA me ajudar! Vamos lá?

 

   ● A HISTÓRIA: 

   "Não nego nunca minhas raízes. Sou pé no chão, sou sol na cara (...)" − Guto Kelevra

   Nasci no Xodó Marize, um bairro periférico de Belo Horizonte que fica às beiras de um córrego a céu aberto. Venho de uma família de origem humilde, sou filha de um estofador autônomo e de uma mãe muito trabalhadora. Meus pais sempre me disseram que “pobre tem que estudar”; internalizei isso. Fui inspirada pela força das mulheres da minha família: minha avó, minha mãe, minhas tias e primas. São pessoas que sempre correram atrás de seus sonhos apesar das adversidades.

   Desde o início do meu histórico escolar, apresentava habilidades na escrita e na leitura que chamavam a atenção dos meus professores, além de uma curiosidade maior pelas ciências. Estudei em uma escola pública durante meu ensino fundamental I (Escola Estadual Pedro Paulo Penido) e desde essa idade já tinha a percepção da educação como algo que transformaria minha realidade social. Ao longo do ensino fundamental II, aprendi inglês sem nenhum curso de idiomas e estudava conteúdos que não eram profundamente abordados em sala de aula, de forma autodidata. Foi então que, em 2017, além de fazer as provas seletivas e passar no CEFET e no SENAI, instituições que oferecem curso técnico integrado ao médio, descobri o Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos − ISMART.

   Este instituto oferecia bolsas integrais nas melhores escolas da cidade a jovens talentos de baixa renda, bem como auxílio para transporte, alimentação, material escolar e um programa de desenvolvimento de habilidades para o futuro. Essa era a oportunidade que faltava para que eu pudesse realizar meu sonho de uma educação de excelência e mudar de vida. Depois de um longo e desafiador ano de processo seletivo que incluía provas, entrevista, dinâmica de grupo e avaliação socioeconômica, fui aprovada e ingressei no 1º ano do Ensino Médio no Colégio Bernoulli, um dos mais bem avaliados da minha cidade, com bolsa integral. Minha nova rotina incluía acordar às cinco da manhã, pegar uma hora e meia de transporte público todos os dias para ir às aulas e me adaptar com a diferença na qualidade de ensino/cobrança entre a escola anterior e a nova.

 

   ● ATIVIDADES E EXPERIÊNCIAS:

   Ainda no primeiro ano do meu Ensino Médio, resolvi procurar por mais oportunidades de desenvolvimento pessoal e acadêmico. Logo no início de 2018, conheci o Mentoring Young Talents Brazil, um projeto de mentorias para desenvolvimento de competências, que oferecia mentores com experiência no processo de applications para estudar fora do país; me inscrevi e fui aprovada no projeto. Me engajei como uma ativista do Mapa Educação, um movimento cuja missão se conecta muito com a minha trajetória: de que todos os brasileiros tenham acesso a uma instrução de qualidade. Entrei também para o grupo de voluntários do Greenpeace para promover ações relacionadas à preservação do meio ambiente. Além disso, dentro da comunidade escolar, co-fundei o Jornal Edson Luís, onde hoje sou coordenadora e redatora na seção de Ciência e Tecnologia. Falando em ciência, também tive a oportunidade de visitar a feira de ideias que os participantes dos Clubes de Ciência da UFMG organizaram e mais uma vez fui inspirada por jovens apresentando projetos tão incríveis. Comecei a desenvolver um projeto de pesquisa científica para inibir a produção de dois compostos químicos que as cianobactérias do gênero Pseudanabaena produzem: a Geosmina e o 2-metilisoborneol. Eles causam gosto/odor de terra e mofo na água de lagos eutrofizados, prejudicando ainda mais sua qualidade. Ao passar mais tempo nos laboratórios do colégio e ir constantemente aos laboratórios da UFMG, tive a certeza de que quero ser uma pesquisadora. Assim, me inscrevi e fui aceita no curso de Biosciences and Technology da universidade de Wake Forest e no curso Investigations in Bioscience and Biotechnology: Nanobiomaterials da universidade de Stanford.

                                                                                                                                  Carta de aceitação.

    O PROGRAMA: Stanford Pre-Collegiate Summer Institutes

   É um programa com duração de três semanas que acontece todos os anos na universidade de Stanford (Palo Alto, Califórnia) e recebe estudantes de mais de 80 países. Durante o programa, eles vivem no campus da universidade. O programa oferece a experiência da sala de aula em Stanford e desafia os alunos com conteúdos avançados que não são encontrados no currículo do ensino médio. Também acontecem palestras e workshops. O processo seletivo consiste na escrita de personal statements, envio de cartas de recomendação de professores/coordenadores, notas em testes padronizados de inglês (TOEFL/IELTS), boletins escolares traduzidos e amostras de trabalhos do estudante. Os participantes completam projetos especiais e compartilham suas apresentações durante a última semana, para receberem um certificado de conclusão. Os instrutores proporcionam um mergulho profundo no curso e destacam novas áreas de pesquisa.

 

    ●  POR QUE ISSO É IMPORTANTE PARA MIM?

   O curso de Biociências e Biotecnologia com ênfase em Nanobiomateriais, no qual eu fui admitida, tem grande relação com a graduação que eu sonho em fazer: a de Bioquímica e Biofísica Molecular. Como eu mencionei anteriormente, sou uma jovem cientista brasileira e aspiro me tornar uma grande pesquisadora. Participar desse curso em Stanford me permitiria dar vários passos em direção à realização desse sonho pois eu faria conexões com professores e pesquisadores internacionais, conheceria os laboratórios onde coisas incríveis já foram feitas e iria adquirir conhecimentos para a vida toda. Por meio do programa, eu também poderia enriquecer os projetos de pesquisa que já realizo.

   Eu acredito verdadeiramente que meninas e mulheres também podem fazer ciência e o talento se distribui por todas as classes sociais, incluindo as mais pobres. Por isso, o incentivo a essas pessoas, que foram privadas de acesso à educação por tanto tempo, deve acontecer. Na periferia, oportunidades como essa são muito raras. Vencer tantos obstáculos simbólicos, ser aprovada em Stanford e não poder ir por questões financeiras será uma péssima frustração, sem a sua ajuda. Convido você, depois de dizer tudo isso, a contribuir com qualquer quantia para que eu consiga realizar esse sonho! 💛

 

   ● PLANO DE USO DOS RECURSOS:

 Eu recebi uma bolsa de 3.600 dólares (aproximadamente 50% do valor total do programa, que inclui o curso em si, estadia e alimentação mas não cobre passagens e outros custos). Portanto, a meta da vaquinha compreende os seguintes gastos:

R$ 14.207,99 (3.650 dólares) − Valor do curso após a aplicação da bolsa.

R$ 5.700,00 − Passagens aéreas de ida e volta.

R$ 257,25 − Valor para a expedição do passaporte.

R$ 622,40 − Valor do visto.

R$ 200,00 −  Passagens de ônibus até São Paulo para expedição do visto.

 

Conto com sua contribuição e/ou divulgação.

MUITO obrigada, desde já!

Para qualquer esclarecimento, favor contatar yasmin1reis@gmail.com.

$ contribua

Novidades (1)

Yasmin Rodrigues Reis publicou em 16 de Abril de 2019:

Hoje (16/04), eu recebi um e-mail de Stanford a respeito da minha solicitação de bolsa integral. Eles responderam que não haveria como aumentar a porcentagem para além daquela que eu já recebi (50%), porque os fundos são limitados. Assim, eu precisei aumentar a meta da vaquinha (que antes compreendia apenas gastos com as passagens e burocracia), para que eu possa pagar também pelo valor restante do curso.

 

                                                                                             E-mail.

Quem ajudou (58)

  • anônimo
    em 19 de Abril de 2019

  • Eduardo de oliveira
    em 19 de Abril de 2019

  • Ana Luisa Meirelles Guimaraes
    em 19 de Abril de 2019

  • Tatiana Cortez
    em 18 de Abril de 2019

  • Ofli Campos Guimaraes
    em 18 de Abril de 2019

  • Luciano Ricardo de Magalhães Pereira
    em 18 de Abril de 2019

  • anônimo
    em 18 de Abril de 2019

  • anônimo
    em 18 de Abril de 2019

Denuncie

É necessário estar identificado para fazer uma denúncia. Registre-se ou faça login.

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.