Resgatando a dignidade

ID da vaquinha: 53679
Resgatando a dignidade
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 10.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens
Salvador, 11 de maio de 2015. Venho por meio deste contar um pouco da minha história, as dividas começaram em 2010 quando solicitei ao banco um empréstimo para comprar os remédios do meu marido que estava desempregado e tinha passado por uma cirurgia. Ele sofreu um rompimento do tendão no calcanhar de Aquiles. Eu estava trabalhando, mas, o salário era muito pouco para as despesas da casa e não contava com esse imprevisto. Até que paguei algumas parcelas, mas, veio o desemprego e com a falta de pagamento o banco entregou minha dívida a uma empresa de cobrança onde os jurus triplicou o valor tentei negociar algumas vezes, mas as necessidades do dia a dia sempre são prioridades. Continuava desempregada e as dividas se acumulavam, mas, como citei antes a prioridade (alimentação) e na maioria das vezes recebia ajuda de meus sogros, eles sempre foram muito legal comigo, ajudaram a criar meu filho nunca deixou faltar nada para ele. As contas de Luz, água e até mesmo a internet, que parece ser luxo ter na minha situação eles pagavam por que sabiam da importância desta ferramenta para buscar trabalho. Depois da cirurgia meu marido ficou desempregado pelo longo período mais ou menos uns 4 anos acha uns free lance nada fixo ou que pagasse bem, dava só para as necessidades básicas. Eu quando começava a trabalhar esperava um tempo para me estabilizar na empresa e logo renegociar as dívidas mesmo com os juros altos, o meu objetivo era limpar meu nome e viver em paz com a minha consciência tranquila e recuperar a minha dignidade, mas logo em seguida o fantasma do desemprego me perseguia, ficava desemprega de novo. Eu tenho um sonho muito antigo, que é fazer um curso superior, mas não posso solicitar o benefício do governo federal FIES por causa da restrição no meu CPF. sei que a formação superior irá melhorar a minha posição no mercado de trabalho e também a minha renda, sendo assim terei uma vida digna e poderei ajudar o meu marido a manter as contas da casa, sem passar aperto. Fico muito agradecida pela atenção.
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.