Vaquinha / Outros / Dinheiro

Projeto Crescer

ID da vaquinha: 212268
Projeto Crescer
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
3%
Arrecadado
R$ 170,00
de
Meta
R$ 6.000,00
Apoiadores
5
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

O Projeto Crescer teve início quando um grupo de educandos começou a passear pela escola perguntando o nome das funcionárias e pedindo para que elas contassem suas histórias de vida.

Descobrimos que algumas das "tias" da cantina e da faxina trabalharam por meses na escola sem receber da prefeitura. E mais, o objetivo dessas tias-mães na época era reivindicar a oficialização da própria escola. Presentes em manifestações e passeatas, "com a mamadeira na sacolinha", as mulheres da EM Governador Ozanam Coelho formaram uma comissão: Ainda em fase de Assentamento no loteamento vago da região, elas se organizaram para fazer o lanche da comunidade escolar. Traziam merenda e verdura de casa, que sendo de lona ou de tijolo, representava uma conquista para sair do aluguel. E assim, a luta por moradia digna e educação de qualidade se fundiu.

Nesse movimento de busca por histórias conhecemos algumas funcionárias. Mães, avós e bisávos foram se integrando às atividades na biblioteca escolar e fora dela. Em rodas de chá ou com a enxada na mão, aprendemos canções de trabalho para ninar bêbes, costurar roupas, para trazer chuva, canções de pilar e batuque para dançar também!

O contato com essas moradoras, mães, tias, avós, bisavós negras, vindas do interior permitiu que plantássemos uma mandala com as ervas medicinais mais conhecidas pelas famílias.

Na horta comunitária localizada na Área de Preservação Ambiental, agricultoras nos ensinaram a fazer coloral pilando urucum, a construir um forno de barro. Rose nos orientou a plantar uma Farmácia Viva e a montar um ármario com direito ao manuseio de furadeira e maquita.

Por meio do Teatro do Oprimido, apresentamos Fóruns sobre problemas que vivenciamos. Com a literatura e ativismo, encontramos poetas de Cabo Verde (Pedro Matos), do Ceará (Jarrid Arraes), de Belo Horizonte (Madú Costa e Kakaih Machado). Estendemos as redes ouvindo a indígena Ávelin Buniacá Kambiwá, trocando cartas com duas comunidades quilomblas, Manzo Nzungo Kaiango e Mato do Tição. Projeto este em Andamento. 

Um Projeto que cresce a cada dia vai chamar "Crescer": Foi assim que Fátima, mãe e educadora observou todo processo. E com a parceria de Rose (Posto de Saúde) mestra em saberes tradicionais e amiga para todas as horas (inclusive as de diárreia e desidratação) hoje nos encontramos no seguinte pé:

- Como estamos nas comunidades Capitão Eduardo e Beija Flor, nosso Filme chama Capitãs Em Flor porquê

Temos capitãs que à flor da pele lutam por direitos e precisamos conhecer, registrar suas resistências e histórias.

Temos capitãs que manipulam flores e folhas durante gerações e esse saber não pode se perder. É um saber que cuida e também cura pessoas.

Uma câmera e um gravador de voz estã fazendo MUITA falta nas gravações do filme. Cada momento de gravação é único. E atualmente, com os materiais que temos, perdemos qualidade de som e imagem.

- Escolhemos trabalhar com duas Flores: Melissa e Camomila

Rose e Fátima têm nos ensinado as propriedades, o princípio ativo das flores. Junto de Raizeras como Tantinha, que construíram o Protocolo Comunitário Biocultural da Raizeiras do Cerrado aprenderemos a preparar jovens e interessados para um trabalho que gere fontes alternativas e autônomas de renda.

- Precisamos ampliar o trabalho de cuidado com o próprio lixo, doação de composteiras domésticas

O lixo e as queimadas afetam a região, contornada pelo Rio das Velhas e pela Área de Preservação Ambiental.

- Precisamos de estrutura para construir o viveiro, para aprender a fazer tinturas e realizar as atividades de plantio

- A limpeza de uma sala na horta abre uma fase de recomeço das atividades com teatro do oprimido

- A xilogravura, a escrita da poesia de cordel para narrar o filme, bem como programas de animação e edição de filmes são técnicas que não dominamos e precisamos aprender

O Projeto Crescer têm ações, linguagens e pessoas diversas que se convergem formando um coletivo capaz de se apropriar dos espaços públicos existentes.

Enfrentamos muitos desafios. Os três maiores são:

-  diálogo entre gerações

- conseguir cuidar de tudo que se planta, regar mandalas e horta, fazer compostagem e conciliar os trabalhos com arte e poesia

- verba

Pedimos seu apoio para realização do Projeto Crescer -

Se  a questão da verba for superada vamos dar um grande passo

Agradecemos e convidamos vocês para caminhar conosco

Link para ler o Projeto na Íntegra

(favor copiar e colar o endereço no navegador)

https://issuu.com/projetocrescer/docs/projeto_crescer_2017

 

nosso e-mail: trocadesaberescrescer@gmail.com

Grande Abraço!!!

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2022