INCLUSÃ SOCIAL PARA DEFICIENTES COM ESPETÁCULO DE ARTE CÊNICA

ID da vaquinha: 68704
INCLUSÃ SOCIAL PARA DEFICIENTES COM ESPETÁCULO DE ARTE CÊNICA
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 20.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens
1. Objetivos • Geral:  Promover a divulgação do trabalho do Programa de Equoterapia da Polícia Militar do Pará, através da Arte-Educação com a apresentação do teatro de bonecos com o tema central “EQUOTERAPIA – UMA HISTÓRIA ESPECIAL”.  Demonstrar o potencial do deficiente na sociedade. • Específicos:  Incentivar a integração social da equipe técnica, pais e praticantes na equoterapia.  Promover a participação de pessoas com deficiência e/ou necessidade especial em oficinas de arte para a realização da apresentação teatral do teatro de bonecos na equoterapia.  Vivenciar aos visistantes os desafios cotidianos de cegos, surdos, cadeirantes e idosos no ambiente do cavalo .2 Justificativa : Segundo Hipócrates de Loo (458 – 370 a.C.) o uso do cavalo como forma de terapia data de 400 A.C., sendo que no seu Livro das Dietas aconselhava a equitação para “regenerar a saúde” de seus pacientes. Desde 1969 a NARHA (Associação Americana de Hipoterapia para Deficientes) vem divulgando a equoterapia na América do Norte. Na Europa, o método cresceu após a publicação do manual de De Lubersac e Lalleri na introdução de seu manuscrito intitulado A Reeducação Através da Equitação (1973). No Brasil, em 10 de Maio de 1989 foi fundada a Ande-Brasil (Associação Nacional de Equoterapia), é uma entidade assistencial e terapêutico, responsável pela doutrina da equoterapia no Brasil. No estado do Pará a Polícia Militar do Pará é pioneira nesse trabalho, onde realiza a 23 (vinte e três) anos o atendimento da equoterapia no Centro Interdisciplinar de Equoterapia (Cieq-Belém). Atualmente funcionam também mais dois centros da polícia militar, o Centro Interdisciplinar de Equoterapia dos municípios de Castanhal e Santarém (Cieq-Castanhal e Cieq-Santarém). Segundo a Ande-Brasil o cavalo é no processo de inclusão social e educação, tendo grande representatividade na produção e criação artística através dos diversos tipos de arte equestre, servindo como modelo de beleza e sabedoria. Segundo Xenophontes (400 a.C.), fundador do ensino do cavalo e da equitação, “a equitação é a arte de montar a cavalo e compreende todas as práticas desportivas que envolvam este animal”. Segundo Licart, no seu livro “Equitacion Raisonée”, diz que “a arte de saber fazer, domínio do artífice e a arte de estética, domínio do artista, encontram-se na equitação, arte e ciência completam-se”. Sendo portanto a equitação a arte de saber andar á cavalo, pode ser uma arte, uma atividade de lazer, um esporte, tendo como benefícios ganhos de auto-estima, tônus muscular e socialização. Segundo Aristóteles, a arte é um reflexo do ser humano e muitas vezes representa sua condição social e sua essência, sendo uma atividade humana ligada a manifestação de ordem estética feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, e cada obra de arte possui um significado único e diferente. A história da evolução da humanidade retrata que o cavalo faz parte da vida do homem há vários séculos, sendo inegável sua imponência, não há quem não admire seu porte, beleza e ar de nobreza, sendo representado desde a pré-história no fundo das cavernas nas inscrições rupestres, em telas de pintura, esculturas, atividade de ginástica artística com o cavalo no volteio artístico, nos grandes torneios medievais, grandes espetáculos de gala no adestramento, nas apresentações circenses, enfim, em grandes espetáculos artísticos da arte equestre. O cavalo foi utilizado como meio de conquista, de imigração, de transporte, de trabalho, de veneração e de crença, na mitologia, na fabricação de soro e vacina, no lazer e no esporte, e atualmente é utilizado como recurso terapêutico, educacional e inclusão social na equoterapia. Sendo assim, compreendemos que as técnicas da equitação e o conhecimento científico da equoterapia são similares, e que podemos utilizar a equitação em atividades ligadas a arte equestre, explorando os meios artísticos para aprimorar os conhecimentos através de uma abordagem da linguagem corporal, para transmitir emoções, criar impacto e beleza, dar ao homem a percepção da sua dimensão simbólica e transcendental, atendendo assim a uma necessidade fundamental da condição humana, o senso poético e estético da vida. A equitação-arte é a capacidade que tem o cavaleiro de colocar em prática sua habilidade equestre, valendo-se da faculdade de compreender profundamente o espírito do cavalo, e conhecer seus complexos movimentos, buscando a perfeição e beleza estética dos movimentos do conjunto cavalo-cavaleiro, com uma coreografia de graça e beleza visual. Com esse pensamento o centro de equoterapia desenvolveu o projeto de arte para pessoas com deficiência, observando as técnicas e práticas da equitação clássica e da equoterapia com o olhar para a beleza estética do movimento tridimencional do cavalo e do seu comportamento psicológico, representando no ambiente do picadeiro a arte cênica equestre, onde historicamente iniciaram as representações teatrais e a arte circense, servindo como fator de inclusão social e cultural. O Projeto Arte e Educação é um projeto que aproxima ainda mais o cavalo das pessoas na equoterapia. Este ano preparamos um espetáculo teatral de bonecos tipo marionete e manipulação direta, mostrando todos os aspectos da natureza do cavalo e sua relação com a pessoa com deficiência no ambiente da equoterapia. A intenção do projeto é contar a história de superação da pessoa com deficiência em seu contexto sócio-cultural, utilizando como tema central o cavalo e o ambiente equestre, através da apresentação do espetáculo de arte com o título “EQUOTERAPIA – UMA HISTÓRIA ESPECIAL”. A história vai contar a trajetória de uma família que descobre que vai ter um filho especial, paralelamente ocorrerá o nascimento de um potro e seu treinamento, o encontro da criança especial e o cavalo na equoterapia, e a magia desse encontro, com a surpresa final da transformação dos bonecos dos personagens em seres humanos com o cavalo e a criança especial da equoterapia. O espetáculo consiste em desenvolver um roteiro dramatúrgico, com o planejamento de todos os elementos de um espetáculo, tais como: construção de bonecos com personagens de teatro de marionete com manipulação suspensa por fios flexíveis, de manipulação direta e atores com grande intensidade emocional, adereços, figurinos, iluminação, criação de cenário, criação do roteiro musical, exercícios práticos de manipulação. Durante a pesquisa de preparação do espetáculo, terapeutas, equitadores, arte educadores, policiais militares, pais e pessoas com deficiência estarão sendo avaliados através de processo de avaliação direta e auto-avaliação, nos seguintes itens, tais como: percepção visual, auditiva e tátil; percepção de sequência de fatos, coordenação dos movimentos, expressão gestual, oral e plástica, criatividade, memória, vocalização e socialização. Esta preparação envolve a utilização de papel e tecido reciclado, para confecção dos bonecos de marionete e cenário. Pretendemos ainda que o espetáculo possa se tornar itinerante em escolas e comunidades carentes de Belém e ilhas próximas a capital, levando ao maior número de pessoas o teatro de bonecos de marionete e manipulação direta como forma de inclusão social. 3 .Público Alvo: Atingir o público de 500 (quinhentas) pessoas diretamente e 5.000(cinco mil) pessoas indiretamente, aproximando a sociedade do tema central cavalo e sua relação com a pessoa com deficiência, o homem e a comunidade em geral. Pretendemos também em especial atingir um público diferenciado, que são as pessoas com deficiência, possibilitando que as mesmas participem do evento, oferecendo tradutor em libras e audio descrição. Com estes recursos queremos abranger instituições oficiais do Governo do Estado do Pará que trabalham com pessoas com deficiência, para estimular a produção artística voltada a pessoas com habilidades artísticas diferenciadas. - 3- FICHA TÉCNICA NOME FUNÇÃO/ATUAÇÃO TEN CEL RR PM CLAUDIO POLARO COORDENAÇÃO GERAL/PRODUTOR/DIRETOR CAP PM ANGELO SCOTTA COORDENAÇÃO TEN PM PATRICIA RIBEIRO COORDENAÇÃO TEN PM ALESSANDRA COORDENAÇÃO FRANCISCO LEÃO VICE-DIREÇÃO/TÉCNICO EM MARIONETE/CENÓGRAFO KADU SANTORO PREPARADOR ARTÍSTICO SGT PM PA PORTAL TITEREIRO SGT PM PA ENAQUE TITEREIRO SGT PM PA ANGELA TITEREIRO VALDIR SANTOS TITEREIRO VASCONCELOS TITEREIRO CLEIDSON CHAVES CONTRA REGRA HOLANDA CONTRA-REGRA SGT PM PA RICARDO NOVAES CONDUTOR DO CAVALO CLOVIS LOUREIRO TITEREIRO BRUNA MIRANDA TITEREIRO TATIANA DO CARMO TITEREIRO WALESCA JORGE TITEREIRO MARCIA MALHEIROS TITEREIRO GISELE BAIA TITEREIRO CLAUDIA TEIXEIRA TITEREIRO
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.