Vaquinha / Outros / Dinheiro

Força Lindinha

ID da vaquinha: 51013
Força Lindinha
URL copiada!
28%
Arrecadado
R$ 415,00
de
Meta
R$ 1.500,00
Apoiadores
11
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens
Lindinha foi abandonada, ainda bebê, junto com a mãe e suas duas irmãzinhas, nas imediações do Hospital Dr. Arnaldo, em Jundiapeba, Mogi das Cruzes, SP. Em junho de 2015, as quatro foram resgatadas, extremamente desnutridas e acolhidas no abrigo, com a saúde muito fraca e correndo risco de vida. A mãe foi batizada de Nicole e as menininhas, ganharam os nomes das Meninas Superpoderosas: Docinho, Florzinha e Lindinha. Lindinha era a menorzinha e a mais fraquinha e, por muitas vezes, achamos que não sobreviveria. Precisou de muita garra e, junto com os cuidados e carinho que recebeu no abrigo, foi recuperando a saúde e crescendo forte. Mas o destino gosta de nos pregar algumas peças e, num desses acasos a nossa menina adoeceu. Talvez uma doença congênita ou uma infecção que acometeu o cérebro, o fato é que nossa menina começou a apresentar sintomas de problemas neurológicos. Perdeu o movimento das pernas e a coordenação da cabeça. Não conseguia se alimentar direito e sua imunidade foi ficando baixa, apesar de estar sendo medicada e cuidada com muito amor e carinho. Algumas pessoas a teriam desenganado, e provavelmente teriam sugerido a eutanásia, mas, apesar de fraca, o olhar da pequena nos dizia que ela queria viver. Ela estava lutando por isso. E nós iríamos lutar com ela. Foi então que decidimos trazê-la para um tratamento mais intensivo, que contou com uma corrente do bem, se revezando para cuidar e olhar por ela 24 horas por dia. Foram noites em claro, dias de angústia e choros escondidos. Comia e bebia água somente com o auxílio de uma seringa. Mal conseguia manter a cabeça erguida. Tínhamos que virá-la de tempos em tempos para que não tivesse problemas nos pulmões e feridas no corpo. Foram dadas muitas vitaminas, suplementos, ração super-premium, aplicações de soro e medicamentos. Alguns tivemos que mandar fazer em São Paulo, tal era a dificuldade de encontrá-los. E assim, vimos nossa menina começar a se recuperar. As falhas de pêlo no corpo foram sumindo, a saúde foi melhorando, cada vitória, por menor que fosse, era sempre muito comemorada. Até que, numa tentativa sem compromisso, lhe foi oferecida ração seca, a qual ela comeu vorazmente. E uns dias depois, oferecemos água no pote, e ela bebeu, tendo somente que segurar-lhe a cabeça para que não derrubasse. Em janeiro, fizemos novos exames de sangue que comprovaram que nossa menina, de saúde, estava bem. Sem alterações no hemograma, funções hepáticas e renais normais, comemoramos com alegria. Mas ainda tínhamos várias barreiras para vencer. Apesar de estar com a saúde normal, Lindinha não havia recuperado os movimentos das pernas e a falta de coordenação na cabeça continuava. Começou a apresentar também torção no pescoço e movimentação nos olhos, o que a impediam de processar as imagens corretamente. Foi então que conhecemos o Jin Shin Jyutsu, técnica oriental de harmonização da energia vital no corpo. Assim, Lindinha começou a fazer duas sessões semanais, com a Dra. Claudia Lima Cipresso e apresentou melhoras logo nas primeiras sessões. A tensão no pescoço diminuiu e sua coordenação melhorou. Partimos então para mais uma etapa, a terapia com células tronco. Na segunda semana de fevereiro, a levamos até São Paulo, para sua primeira aplicação, com o Dr. Marcelo Nemer Xavier. Tudo correu bem e ela já tem apresentado significativa melhora nos movimentos das pernas. Essa é a história da Lindinha até aqui. Todo o tratamento, até o momento, ficou em mais de 3.000 reais. As sessões de Jin Shin Jyutsu continuam e ela também precisará de mais uma ou duas aplicações de células tronco, as quais ainda não temos como estimar os custos. Assim, para cobrir o tratamento dela até aqui e ajudar a custear a continuidade do tratamento, lançamos a campanha Força Lindinha (‪#‎forçalindinha‬). Precisamos fortalecer a corrente do bem que tanto tem ajudado nossa menina. Apesar de todas as dificuldades que viveu e ainda vive, ela é só um filhote. Tem apenas 10 meses. Ainda tem a vida toda pela frente. E não estamos medindo esforços para que essa vida seja plena, com qualidade e felicidade. Lindinha tem sido um aprendizado na vida de todos que convivem com ela. Sua vontade de viver, sua perseverança e até sua teimosia tem nos mostrado, a cada dia, lições de superação, garra, alegria. Que ela possa brincar, caçar borboletas, e ser feliz, como todos os animais merecem.
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021