Vaquinha / Outros / Dinheiro

Ação entre Amigos #UnidosPeloMurillo

ID da vaquinha: 89283
Ação entre Amigos #UnidosPeloMurillo
URL copiada!
9%
Arrecadado
R$ 2.608,00
de
Meta
R$ 28.000,00
Apoiadores
53
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

Olá,

Sou o Murillo Ribeiro Freitas, tenho 19 anos de idade, nasci em Cassilândia – MS e atualmente moro em Campo Grande, estou no primeiro ano de faculdade, trabalho durante o dia e estudo durante a noite. Recentemente fui diagnosticado com um problema sério de visão, o ceratocone.

Com 12 anos de idade fui diagnosticado com miopia por uma médica da minha cidade, foi quando tive que usar durante um ano óculos, o famoso fundo de garrafa, não vendo melhoras resolvi parar de usar.

Na minha vida estudantil sempre fui o aluno que chegava de madrugada na escola só pra pegar o primeiro lugar da fila, não me inocento por isso de forma alguma, por um lado sempre gostava do primeiro dia de aula e sentar no primeiro lugar era um privilégio, as sábias palavras dos professores ficavam mais claras dali, de pertinho. O problema de visão nessa época era apenas uma pedrinha no caminho, na qual eu a chutava para frente durante a caminhada. Essa pedrinha foi se tornando um grande pedregulho e atualmente é impossível chuta-lo.

Logo após meu aniversário de 18 anos de idade fiz uma consulta em outro médico da minha cidade, onde ele me diagnosticou com este problema, o ceratocone. Já se era esperado por isso, pois o ceratocone é uma doença hereditária, e na minha família já tivemos casos do mesmo, que graças a Deus e a medicina avançada da atualidade foram resolvidos.

A princípio não fazia ideia do que era ceratocone, só sabia que atrapalhava e muito minha visão, então logo fui questionando o doutor, o que é isso? ; Repete o nome de novo, por favor; Cera o que? ; Tem cura? . Definitivamente foi um interrogatório bem longo e esclarecedor. Ah! E só pra lembrar, eu não estava sozinho, estava acompanhado da minha grandiosa mãe, então imagine dois leigos querendo saber sobre o problema, com certeza ele foi bombardeado com as mesmas perguntas diversas vezes, mas no final saímos bem atualizados sobre o assunto.

No retorno ao consultório o médico me mostrou diversas soluções, de começo fui condenado de vez a não coçar o olho, pois isso só pioraria o problema. Logo em seguida ele me falou sobre algumas cirurgias e transplantes, mas que isso ficaria pra depois. A solução mais eficaz mostrada por ele naquele momento parecia ser a famosa lente de contato, fiquei empolgado, lente de contato era coisa de cinema, coisa de gente chique, mas infelizmente não foi bem assim.

No primeiro teste ali no consultório, sentado na cadeira de exames oftalmológicos, o médico colocou a lente em mim, aquilo parecia um cisco gigante que não podia ser assoprado e nem retirado do meu olho, porém ali naquele momento eu consegui enxergar, enxerguei até uma sujeirinha que estava grudada na parede, ao lado da projeção das letras, nossa, me senti o cara ali naquela hora, logo pensei, pronto tudo resolvido, mas infelizmente felicidade de pobre dura pouco.

No segundo teste com a lente o doutor me propôs a ficar o dia todo com ela, para me adaptar e ver se não iria surgir nenhum problema. Acordei bem cedo naquele dia, me arrumei, e fui para o consultório, estava empolgado, pois iria passar o dia vendo além do que o ceratocone me permitia ver. Após ele colocar a lente fui para a escola, até então tudo certo e em full HD, quando chegou à tarde fui ao trabalho, foi ai que começou a grande prova, a lente começou a irritar meus olhos, e o que era pior, eles ficavam secos, e não adiantava piscar, a lubrificação do globo ocular não estava sendo feita. Depois do expediente voltei ao consultório com os olhos bem vermelhos, foi ai que meu médico me receitou um colírio lubrificante, me pediu para dormir com a lente e voltar no outro dia bem cedo. Fui até a farmácia comprei o bendito colírio e voltei pra minha residência. Tentei dormir de toda forma, mas os olhos não aceitavam aquele corpo estranho e se irritavam cada vez mais, até que enfim consegui pegar no sono. Quando acordei no outro dia não enxergava nada, estava tudo embaçado, e eu não conseguia nem se quer abrir os olhos, as lentes já não estavam no lugar certo, foi ai que pensei, “Pronto agora é que não vejo mais nada mesmo”, liguei desesperado pra minha mãe e disse “MÃE, ESTOU CEGO, ME SOCORRE”, ela ficou desesperada chegou em casa muito rápido e me levou até o doutor, chegando lá já fui atendido às pressas, o médico retirou as lentes dos meus olhos e disse “é melhor você ficar com os olhos fechados”, como se eu conseguisse abri-los, fiquei o dia todo de olhos fechados e com uma dor quase insuportável, parecia que tinha algo arranhando meu olho, quando na verdade o que estava arranhando era as feridas causadas pela lente rígida. Quando finalmente consegui abrir os olhos no dia seguinte, tinha algo diferente, não algo bom, uma mancha que piorava mais ainda minha visão. Alguns dias e muitos colírios depois minha visão voltou ao normal. E retornei mais uma vez ao médico.

Nesta visita ele me sugeriu mais uma solução, uma outra lente, que não machucaria meus olhos, mas que não seria tão eficaz. Fomos pro teste, realmente essa lente era diferente, eu nem se quer a sentia quando piscava, porém eu não enxergava muito além do que o ceratocone me permitia. No fim de tudo ele me convenceu a usa-la durante um ano e depois tentaríamos outra solução.

Menos de um ano se passou e muita coisa mudou em minha vida, comecei uma faculdade na capital, me tornei mais responsável, virei dono de casa, me tornei mais sentimental, comecei a sentir a dor da saudade e como o bom filho a casa torna, e finalmente dei entrada na minha habilitação, foi ai que uma nova etapa desse problema começou.

No exame de vista do DETRAN, temido por todos, por ser bem preciso e rigoroso, ainda mais na capital, foi que descobri, eu não estava enxergando nada, aquele doutor conseguiu me “engrupir” dizendo que com aquele par de lentes eu iria conseguir fazer tudo que um jovem de 18 anos faz, inclusive conseguir a tão sonhada CNH.

Após ser reprovado pelo exame de vista, procurei um médico, aqui mesmo na capital, especialista no meu problema. Logo que entrei no consultório, com minha prima como acompanhante, já vi que o doutor era bom, talvez pela lábia que ele tinha, ou talvez porque ele realmente era diferente, estudou durante cinco anos sobre a mesma coisa e se tornou especialista, sabia o que estava falando, e jurava de pé junto que tudo era verdade, quando realmente era mesmo. Depois da consulta sai de lá, sabendo ainda mais sobre meu problema, e com um par de exames para serem feitos.

 Na minha segunda visita ao doutor cheguei com todos os exames feitos, e com uma esperança de finalmente ter uma solução. Após analisar todos exames e laudos ele chegou a uma conclusão, de que no meu caso tão raro e delicado, o mais eficaz era a cirurgia de anel corneano seguida de crosslink. Finalmente tinha um parecer, tinha uma conclusão que resolveria tudo, mas infelizmente felicidade de pobre dura pouco, e tudo que parecia estar esclarecido estava apenas se complicando. Quando o médico me disse o preço das duas cirurgias fiquei espantado, onde eu iria conseguir isso tudo? R$14.000,00; cada olho, totalizando R$28.000,00; pra fazer as cirurgias que precisavam serem feitas urgentemante. Foi quando apelei pro nosso orgulhoso sistema único de saúde (SUS).

Por não ter nascido em Campo Grande, e não estar a muito tempo morando aqui, meu cartão do SUS ainda era da minha cidade natal. Fui até lá e dei entrada no processo de solicitação da cirurgia, após dois meses recebi a notícia de que a primeira consulta havia sido marcada em São José do Rio Preto, era pra ser uma consulta esclarecedora e definitiva para marcar a data da cirurgia. Estava na esperança de sair de Rio Preto já com a data do procedimento marcada e com parcialmente tudo resolvido, mas parecia estar fácil demais, só parecia mesmo. Quando entrei no consultório o doutor analisou meus exames e foi dizendo “Não sou especialista no assunto, mas logo de cara dá pra ver que realmente você precisa da cirurgia, porém você tem que pedir o encaminhamento para o departamento de córnea, especializado no seu problema”. Tecnicamente foi uma consulta em vão, pois sai de lá sem ter nada concluído, mas com duas certezas, que iria demorar mais uns meses pra isso acontecer de novo e que eu não deveria ficar parado esperando pacientemente o grandioso sistema único de saúde fazer seu trabalho. Foi quando decidi iniciar a vaquinha online.

A famosa vaquinha online apelidada de “Ação entre amigos #UnidosPeloMurillo” tem como finalidade arrecadar todo o dinheiro que preciso para realizar a cirurgia. Esta é uma solução bem interessante, pois todos podem doar sem sair do conforto de sua casa e compartilhar sem fazer muito esforço. E o mais curioso é que você pode doar como quiser e o valor que quiser, com o cartão de crédito, boleto bancário ou até com depósitos.

Por isso eu lhe peço caro leitor, me ajude, doe o quanto puder, e compartilhe o maior número de vezes possíveis. Pense, se cada um doar ao menos um real, vou precisar apenas de um alcance de vinte e oito mil pessoas.

Compartilhe para que isso chegue até as pessoas de bom coração, e para as de mal também, desde que cada uma delas doe o que for possível.

Tenho fé em Deus que não irá demorar muito para isso ser resolvido, enquanto isso vou agradecendo por viver bem até aqui e orando por todos que estão me ajudando nessa longa trajetória.

Abaixo está minha conta para as doações e alguns detalhes sobre o ceratocone:

Banco do Brasil - Poupança Ag.: 0909-1 C/c.: 19323-2 Variação: 51 Murillo Riberio Freitas

Desde já agradeço pela atenção e bora pra doação!!! O que é Ceratocone?

 O Ceratocone é uma doença que afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a percepção de imagens distorcidas A evolução do ceratocone é quase sempre progressiva com o aumento do astigmatismo e miopia e acentuada baixa de visão. O diagnóstico definitivo desta patologia é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos como a tomografia e topografia de córnea. Sintomas de Ceratocone O principal sintoma é a visão borrada e distorcida tanto para longe quanto para perto, dores de cabeça, halos em torno das luzes, fotofobia e coceira. Tratamento de Ceratocone

O tratamento do ceratocone visa sempre proporcionar uma boa visão ao paciente. As alternativas de tratamento sempre são avaliadas nesta ordem: óculos, lentes de contato e cirurgias.

1.       Óculos como tratamento para ceratocone. A primeira opção que o paciente recebe é a prescrição de óculos, na maior parte das vezes em casos iniciais da doença.

2.       Lentes de Contato como tratamento para ceratocone. A partir do momento em que os óculos não conseguem fornecer uma acuidade visual satisfatória, a lente de contato é a próxima alternativa, geralmente é utilizada a lente rígida gás permeável.

3.       Crosslinking como tratamento para ceratocone. Consiste na ligação de colágeno de córnea com a riboflavina. O resultado deste processo é a criação de resistência mecânica da córnea. Com isso, há menor chance de progressão do ceratocone.

4.       Transplante de Córnea como tratamento para ceratocone. Utilizada em casos mais avançados do ceratocone.

5.       Implante de Anel Corneano como tratamento para ceratocone. Uma alternativa cirúrgica segura para o ceratocone é o implante de segmentos de anel corneano. Os segmentos remodelam a curvatura da córnea, regredindo o ápice do ceratocone e retornando-o a um formato mais natural, arredondado. O procedimento, realizado é com anestesia local, indolor e com excelentes resultados.

Retirado de: http://marcelovilar.com.br/ceratocone/

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021