CATADORA

ID da vaquinha: 55526
CATADORA
Charles Leandro Holanda Izaquiel
Foz do Iguaçu / PR
68%
Arrecadado
R$ 2.035,00
de
Meta
R$ 3.000,00
Apoiadores
0
Encerrada
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens
Encerrada

O Século XX foi marcado por grandes transformações mundo a fora, depois da segunda guerra mundial ocorreu um processo de globalização das relações, dos processos, estruturas de dominação e apropriação que afetaram todas as esferas sociais. O desemprego é uma das consequências desse processo de globalização, com a introdução de novas tecnologias nos processos produtivos com o objetivo de elevar os níveis de produção e redução nos custos exigiu-se uma qualificação e uma escolaridade mínima, os que não tinham essa qualificação requerida restavam à marginalização ou exclusão do sistema.

Mulheres, negros, idosos e deficientes físicos são os mais afetados nesse processo de restrição de oportunidades, o meio encontrado por esses atores é o subemprego, a ocupação precária dos espaços urbanos e o inchaço da economia informal. Buscando uma forma de inserção no mundo social e do trabalho, a coleta dos materiais recicláveis termina sendo a saída para os excluídos.

Nas ruas a imagem do catador revirando sacolas em busca de materiais que possam ser reciclados ou puxando seu carrinho, provoca e expõem de forma pública a pobreza, são marginalizados, restritos as encostas, é um confronto diário perante ao desconforto dos passantes.

Desempregadas, mães, separadas, viúvas e mães solteiras, a coleta seletiva é composta majoritariamente por mulheres. Dentro e fora dos galpões elas são maioria, Por serem maioria consequentemente são as que mais sofrem preconceitos e discriminação. Ao contrario do que estamos acostumados, a mulher frágil é substituída por uma mulher forte, guerreira e líder. Enquanto catadora é também disseminadora de uma nova cultura, através dessas agentes ambientais busca – se criar uma consciência ambiental e social que pode mudar indivíduos.

COMO SURGIU O DOCUMENTÁRIO CATADORA?

O Documentário Catadora surge a partir de uma série de pesquisas com catadores de materiais recicláveis de Foz do Iguaçu-PR no Paraná. O projeto hoje é completamente diferente da ideia inicial, no início pensávamos apenas em registrar o processo da coleta seletiva, como que era o funcionamento de uma cooperativa, porém, assim como boa parte da sociedade sabemos apenas o que é a coleta de materiais reciclados, como é feita, onde se coloca o papel, onde se coloca o alumínio e por ai vai, mas depois de um certo tempo de pesquisa pudemos perceber que a coleta seletiva é bem mais que saber onde vai cada material, existe pessoas, existe histórias por trás de todo o processo.

Outro fato que nos chamou atenção foi o numero de mulheres dentro das cooperativas, é um numero bem superior ao dos homens e boa parte dessas mulheres com histórias bem semelhantes. A partir desse momento já decidimos que nosso foco principal seria as mulheres.

Com os depoimentos ficou nítido a necessidade de ouvir essas mulheres, dar voz e de alguma formar fazer visível a presença delas, tirar a imagem da catadora invisível da rua e dar o protagonismo merecido a cada uma delas, mostrar o quanto importante elas são para um plante mais limpo. Colocar essas mulheres em primeiro plano e ouvi-las, fazer com que suas histórias sejam o foco principal do documentário.

A partir dai catadora deixa de um documentário sobre reciclagem de resíduos sólidos e passa a ser um documentário sobre mulheres, que tem em comum a coleta de materiais recicláveis. 

Sempre que falamos em reciclagem de resíduos sólidos logo nos vem à cabeça alguém puxando um carrinho cheio de material ou uma cooperativa com seus cooperados trabalhando, colocamos sempre o material reciclado como o protagonista, o mesmo acontece quando separamos nossos resíduos sólidos em nossas casas, colocamos ele em nosso portão e não damos a mínima para o catador que passa recolhendo, é mágico, para onde vai e quem levou pouco nos importa. A mulher enquanto catadora não vai a rua apenas buscar materiais que possam ser reciclados, ela vai além, cria uma relação com o bairro, com os moradores e até com os próprios materiais reciclados.

O documentário catadora vem com o propósito de contar a história dessas mulheres além da coleta seletiva, a partir de suas vivências, suas experiências de vida, o que a rua lhe ensinou e acima de tudo ouvi-las, dar voz. Assim como fomentar a discussão acerca da marginalização e o reconhecimento da profissão de catadora perante a sociedade.  

EQUIPE

Atilio Gazola

Charles Izaquiel

Flavia Soares

Hebert Luidy

Virginia Westin

CONTRAPARTIDAS

1 - Para as doações no valor  de R$: 10,00: 

Agradecimento nos créditos e nas redes sociais do Filme.

2 - Para doações no valor de  R$: 25,00:

Agradecimento nos créditos e nas redes sociais do Filme

Adesivo

Brinde do documentário.

3 - Para doações no valor de R$: 50,00:

Agradecimento nos créditos e nas redes sociais do Filme

Adesivo

Brinde do documentário.

Link privado para assistir ao filme

4 - Para doações no valor de R$: 75,00:

Agradecimento nos créditos e nas redes sociais do Filme

Adesivo

Brinde do documentário.

Link privado para assistir ao filme

DVD do filme.

Para doações no valor de R$: 100,00:

Agradecimento nos créditos e nas redes sociais do Filme

Adesivo

Brinde do documentário.

Link privado para assistir ao filme

DVD do filme.

Bloco de notas do filme

Todos os colaboradores terão seus nomes nos créditos do Filme e Redes sociais do Mexerica Filmes.

Teaser, Making off e mais informações

Página Catadora: https://www.facebook.com/doccatadora/

Página Mexerica Filmes: https://www.facebook.com/mexericafilmes/?fref=ts

Canal YouTuber Mexerica Filmes: https://www.youtube.com/channel/UCKFTc5KD1K2T4gYYniu3mnQ

Um muito obrigado de toda a equipe Mexerica Filmes. 
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.
Elementos SVG

Curta e compartilhe nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados. 2020