Vaquinha / Outros / Dinheiro

Apoio às vítimas do Ciclone Tropical Idai, em Moçambique.

ID da vaquinha: 502936
Apoio às vítimas do Ciclone Tropical  Idai, em Moçambique.
URL copiada!
169%
Arrecadado
R$ 16.920,00
de
Meta
R$ 10.000,00
Apoiadores
227
Encerrada
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

A passagem do devastador Ciclone Tropical Idai, afetou mais de 1,5 milhão de pessoas em Moçambique, Zimbabué e Malawi, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) e os governos dos três estados da África Austral. Número de mortos contabilizados nos três países (30/03/2019): 746.

 

A ONU estima que haja mais de 800 mil pessoas afetadas no centro e norte de Moçambique, principalmente nas províncias de Manica, Sofala e Zambézia, seja por terem ficado sem casa, alimentos e outros bens, ou por perderem o acesso a campos para cultivar e a serviços básicos. Mais de um terço da população afetada são crianças, segundo os cálculos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O levantamento do número de vítimas está por concluir, dado que há locais de difícil acesso devido à subida do nível dos rios, e a previsão é a de que o número de vítimas possa vir a subir, visto que as operações de resgate do Instituto Nacionais de Gestão de Calamidades (INGC) e do Corpo de Salvação Pública estão ainda no terreno. Estima-se que em Moçambique morreram pelo menos 602 pessoas, e mais de 1.600 ficaram feridos, de acordo com números atualizados pelas autoridades moçambicanas. Total de desalojados em centros de acolhimento: 140.784. Famílias beneficiárias de assistência humanitária: 29.098. Total de salas de aula afetadas: 3.318, com 154.854 alunos prejudicados. Número de casas totalmente destruídas: 56.095 (com outras 28.129 parcialmente destruídas).

Uma vez atingida a meta, o valor arrecadado será transferido para uma das 3 três contas bancárias – Standard Bank Moçambique, First National Bank Moçambique e Banco Comercial de Investimentos -, enviadas no dia 12 de Março de 2019, pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades Naturais (INGC), do Ministério da Administração Estatal da Administração Pública, da República de Moçambique.

Atenciosamente,

Carlos Subuhana (moçambicano)

Professor Efetivo da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB/Brasil.

 

Nerito Oliveira Aminde (moçambicano)

Doutorando em Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ/Brasil.

Encerrada
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021