Cover img 1429
Picture

Vakinha de
Milene Medeiros
São José dos Campos /SP

Ajudem no tratamento de meus pais

Objetivo
R$ 10.000,00
Arrecadado
R$ 5.778,20
$ contribua

Desde abril venho sofrendo com problemas de saúde na minha família. Minha mãe passou por várias internações desde então e meu pai foi diagnosticado com câncer na próstata. Ainda não temos um diagnóstico para minha mãe; hoje em casa ela precisa de cuidados especiais.

Criada em
12/09/2017
Encerra em
11/01/2018

Estou desempregada há cinco anos. Sou engenharia mecânica e tenho dificuldades de arrumar um emprego aqui na minha cidade... Até o ano passado considerava isso algo ruim, porém Deus escreve certo por linhas tortas, e hoje estou em casa cuidando de meus pais. No final de março, meu pai realizou um ultrassom com biópsia com suspeita de câncer da próstata. Dias depois do exame, minha mãe deu entrada no PS com dores no estômago. Após avaliação e um resultado de exame de sangue errado, ela também tinha suspeita de câncer no pâncreas. Eu achava que estava vivendo um "inferno". Mas os dias se passaram e após uma CPRE, acharam a causa do problema das dores de minha mãe: uma bolinha de gordura no canal do pâncreas. Achava eu que o pior já havia passado. Ela recebeu alta no dia 01/05, não andando direito, com dificuldades de urinar, nauseante e sem comer. Dia 04/05 ela deu entrada na emergência do hospital e foi parar na UTI. O diagnóstico nesta época era de uma hiponatremia; com a correção dos eletrólitos ela estava meia confusa, mas estava bem. Parecia que em breve minha mãe estaria em casa. Ficamos contentes. Mas veio o dia seguinte, e recebemos a notícia de que meu pai realmente estava com câncer. Foi quando minha mãe teve um "apagão" e não falava, comia ou se movia. O diagnóstico era de edema cerebral devido à hiponatremia, e que, com o tempo ela ficaria bem. Pensei que o pior já havia passado... Veio o final de junho, foi quando ela apresentou um quadro de infecção generalizada. Precisou ser entubada e sedada, e apareceu feridas na pele, diagnóstico como Síndrome de Stevens Johnson... foi quando começaram as orações e preces, pois já não havia muita esperança. Por Deus, ela se recuperou e após uma diálise começou a voltar, já abria os olhos e nos reconhecia. O convênio parou de pagar o hospital e apostaram no home care. Hoje, uma semana após ela chegar em casa, estamos sofrendo, pois ela não para de chorar, apresenta escaras enormes pelo corpo, e está neurologicamente afetada. Em breve meu pai começará uma radioterapia. Estamos exaustos, precisamos de ajuda financeira para o tratamento dela em casa, parte dos insumos é fornecido pelo convênio, mas já percebemos que não é suficiente. Queremos que ela passe por uma avaliação de um neurologista, mas as consultas em casa são caras. Como meus pais são idosos, achei por bem preservar a imagem deles e não publicar. 

$ contribua

Novidades (0)

Quem ajudou (25)

  • Alexey
    em 20 de Setembro de 2017

  • anônimo
    em 19 de Setembro de 2017

  • anônimo
    em 19 de Setembro de 2017 diz:

  • Primavera Botelho
    em 18 de Setembro de 2017

  • anônimo
    em 17 de Setembro de 2017

  • Pratip Roy Chowdhury
    em 17 de Setembro de 2017

  • anônimo
    em 16 de Setembro de 2017

  • Thiago Lourençoni
    em 15 de Setembro de 2017 diz: Melhoras pros seus pais e muita força pra você e a Michele! Abraços!

Contato

Envie uma mensagem diretamente para o dono desta Vakinha.





Denuncie

Iremos verificar sua denúncia e entrar em contato com o dono da Vakinha.