Ajudem-me a ter o que comer!

ID da vaquinha: 113689
Ajudem-me a ter o que comer!
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 3.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens
[SOS] [AJUDA] Bom manas, resolvi, depois de relutar muito pois tenho extrema dificuldade em pedir ajuda, postar aqui um relato sobre minhas condições atuais. Minha dificuldade em pedir ajuda não é vergonha da exposição, menos ainda de estar passando por alguma necessidade, mas sim porque eu me sinto totalmente incapaz de resolver meu problemas quando tenho que pedir. Eu tenho 27 anos, um filho de 7, quase 8 anos, um namorado muito bom pra mim e alguns poucos amigos e amigas maravilhosos. Sofro de depressão, ansiedade e alguns outros transtornos que não identifiquei pois não estou passando por nenhum tratamento ou terapia no momento. Há alguns anos tive algumas crises graves de síndrome do pânico que voltaram a me importunar por esses tempos devido a uma situação com a minha sogra e minhas cunhadas. (A quem interessar eu explico pessoalmente pelo chat, é só chamar). Não tenho convívio com meus pais por eles serem pessoas muito tóxicas e me fazerem muito mal psicologicamente falando, então cortei os vínculos muito cedo, por tanto considero-me sem família consanguínea, minha família são estes que citei a cima. Já passei por muito perrengue nessa vida, superei alguns, outros ainda estou a superar. Em um desses perrengues eu me vi obrigada a entregar meu filho pro pai criar pois eu estava saindo de um relacionamento abusivo, regado a agreções e muita turbulência, não tinha condições financeiras e precisei deixa-lo com o pai, então ele não mora comigo, eu pago pensão e visito, mantendo a convivência e me fazendo presente na vidinha dele. Atualmente trabalho num callcenter como técnica de suporte de rede e internet pra Vivo, ganho um salário mínimo que após todos os descontos me resta aproximadamente uns 700 reais, as vezes até menos. Sou formada em Tanatopraxia e Necromaquiagem, recentemente comecei a trabalhar como coordenadora de cursos nessa área, porém devido a algumas complicações na empresa, estou sem receber há algum tempo e sem previsão de quando tudo voltará ao normal. A situação que me assola no momento é que eu estou totalmente desestruturada financeiramente. Por que ? Porque eu saí de férias do callcenter em Dezembro, com a grana quitei algumas dívidas e resolvi alguns problemas e o pouco que sobrou eu guardei pra poder juntar ao que eu receberia dá escola que dou curso e me mudar dá casa da minha sogra em Janeiro. Porém, devido aos problemas que se criaram lá, ela colocou o filho dela pra fora, com data pra sair e obviamente que eu estava nesse "pacote". Contudo, eu tive que adiantar os planos dá mudança pra Dezembro e então o fiz. Voltei a trabalhar agora em Janeiro, e por ter estado de férias não recebo nada. Meu namorado está desempregado, fazendo alguns freelas, trabalhando de bico em tudo que aparece pra colaborar com o nosso sustento enquanto ele busca por uma vaga fixa em qualquer coisa que apareça. Mas infelizmente, não está sendo o suficiente, os freelas não estão aparecendo com muita frequência e isso nos deixou totalmente enforcados. Hoje, já estamos devendo nosso primeiro mês de aluguel, 2 contas importantes que estão no nome de outras pessoas (que já tínhamos antes de nos mudar, se trata de prestações de compra feita em cartão de crédito) e a pensão do meu menino. O pouco de grana que entra com os bicos que ele faz, estou usando pro meu transporte pro serviço. Mas o motivo de eu expor tudo isso aqui é um só. Não se trata das contas, nem do aluguel e nem de como farei pra quitar essas dívidas, mas sim que chegamos ao limite, estamos sem ter o que comer. Semana retrasada tive ajuda de uma amiga, na semana passada de outras amigas e essa que está começando, eu já não sei o que fazer e nem pra quem pedir ajuda. Essas pessoas que já me ajudaram também tem suas vidas e suas contas pra pagar e não podem me ajudar mais do que já fizeram. (Inclusive se estou tendo internet pra postar esse relato, é porque uma delas colocou crédito no meu celular pra eu não ficar sem comunicação) Estou buscando pelos serviços sociais dá minha cidade, mas pra tudo há uma fila de espera, na qual eu já estou, resta aguardar. Enquanto espero, fico as voltas com "como farei pra comer amanhã?" ... e o desespero já tomou conta de mim, voltei com as crises de ansiedade, estou sentindo a depressão me pegar violentamente e inclusive já busquei por Atendimento Psicológico gratuito, prestado por algumas Universidades aqui dá região. Uma amiga teve a ideia de fazer aquela vaquinha online, mas eu não tenho nem ideia de como funciona isso, inclusive se alguém aqui acha uma boa ideia e puder esclarecer e ensinar como se faz, já agradeço. Então, se alguma de vocês tiver como ajudar, seria maravilhoso. Eu gostaria muito de poder receber a ajuda em alimentos (até mesmo porque sei que algumas pessoas detestam dar dinheiro e com razão) mas como se trata de um grupo que abrange muitas regiões, seria inviável e extremamente caro enviar um pacote de arroz pelo Correio (hahaha tô rindo mas tô desesperada) eu poderia disponibilizar o número da minha conta no banco, pra qualquer uma de vocês que possa e queira me ajudar nesse período turbulento. Qualquer valor que vocês tenham, de verdade, cinquenta centavos já tá ajudando, porque a gente junta um pouco aqui outro pouco ali e assim consegue comprar um macarrão, um arroz e assim por diante, né haha ! Estou disponível pra conversar, pra contar os detalhes disso tudo a quem quiser saber, podem me chamar, me adicionar, pegar meu whatsapp. Que fique claro que não vim expor tudo isso pra comover ninguém, apenas quis relatar minha situação atual, pontuando algumas partes pra deixar bem claro o propósito disso e num ato desesperado pedir ajuda. Eu sou de São Vicente, na Baixada Santista, trabalho em Santos e quem for dá região, querendo e podendo ajudar, eu me proponho até a ir buscar qualquer mantimento que me possa ser doado. Desde já meu muito obrigada a quem leu até aqui e a todas no geral. ❤
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021