Ajude a Casa Tina Martins a VOAR ATÉ CUBA!

ID da vaquinha: 247150
Ajude a Casa Tina Martins a VOAR ATÉ CUBA!
Jessica de Castro
Belo Horizonte / MG
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 13.164,46
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

A Casa de Referência da Mulher Tina Martins é um local que acolhe mulheres vítimas de violência doméstica e em outras vulnerabilidades e que existe há 1 ano e 6 meses no formato em que se encontra atualmente. O espaço originário de uma ocupação de nome homônimo (Ocupação Tina Martins), que foi realizada no dia 08 de março de 2016 reivindicando mais políticas públicas voltadas às mulheres, mais creches, mais casas abrigo e mais delegacias especializadas 24 horas, resistiu por 87 dias neste formato, tendo sido transferida de local no dia 03 de Junho de 2016, se integrando à Rede Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher em Minas Gerais e consolidando o trabalho já executado.

Atualmente, desenvolve trabalhos a partir de 4 eixos:

// FORMAÇÃO POLÍTICA: por meio de oficinas, palestras, rodas de conversas e outras atividades na Casa que possam permitir o acesso à informação, ressignificação de conceitos e troca de experiências, além de serem espaços de fortalecimento;

// ENCAMINHAMENTO: hoje inclusa à Rede Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher em Minas Gerais, quando a Casa não é a melhor solução, há o encaminhamento para outros locais que possam dar um melhor suporte;

// ACOLHIMENTO: por meio de 3 tipos de auxílios gratuitos (psicológico, jurídico e serviço social), a Casa presta serviços que normalmente mulheres menos abastadas não teriam acesso, além de permitir que qualquer mulher da cidade possa usufruir de atividades e eventos gratuitos realizados no espaço;

// ABRIGAMENTO: em situações emergenciais, as quais é perceptível que não há outras soluções inicialmente, mulheres vítimas de violência doméstica são abrigadas na Casa. Lembrando que é uma casa de passagem, com um tempo acompanhado caso a caso. Consegue-se abrigar atualmente apenas 8 mulheres por vez.

Sendo gerida e mantida desde o processo de ocupação pelo Movimento de Mulheres Olga Benario, tal luta continua atingindo cada vez mais mulheres e ampliando sua visibilidade pela cidade de Belo Horizonte e outros municípios de Minas Gerais.
Mas um local como esse não pode se restringir a ser conhecido e manter o viés político e de luta somente a uma escala micro, mas precisamos fazer com que cada vez mais, haja políticas de segurança e a favor da vida das mulheres, que essa demanda seja notada em escala macro e que outros países que têm realidades tão similares ao índice de violência contra mulheres possam perceber como essa demanda é tão emergencial a todos.

 

A partir disso, duas das coordenadoras da Casa Tina Martins, Ana Carolina Amoni e Jessica de Castro, resolveram fazer uma tentativa de utilizar de um espaço acadêmico como um Congresso Internacional sobre Educação Superior em Cuba para que a subversão feita pelo espaço pudesse ganhar maior visibilidade.

Tal assunto tem total inter-relação com a luta feita pela Casa, visto que associando esse elemento como um suporte para diversas violências e sabendo que estas estão atreladas não somente ao espaço privado da casa de muitas mulheres, mas, também, aos espaços públicos, é visto que há uma ineficácia e um despreparo na realização de um planejamento urbano que leve em consideração o viés de gênero. Isso nada mais é que uma extensão de uma falha nos ambientes universitários que formam os arquitetos e urbanistas do país sem o preparo e contato com metodologias e discussões que possam fazer que essa questão seja sempre ponto primordial nesse processo.

Dessa forma, por meio do artigo ‘’Casa Tina Martins: fazendo da turbulência um caminho para um planejamento urbano mais equitário’’, as coordenadoras pretendem expor essa crítica ao planejamento urbano existente atualmente e falar sobre como a luta realizada pela Casa através dos pontos mencionados não somente realizam um auxílio no viés de proteção pós-violência, mas que também serve como mecanismo de reflexão para que as mulheres se subvertam às opressões que lhe são impostas dentro das cidades.

O valor estimado inclui:

// TRANSPORTE PARA AEROPORTO: R$53,50 x 2 = R$107
// PASSAGEM AÉREA: R$4.251,18 x 2 = R$8.502,36 (USD 2,622.40)
// VISTO: R$145 x 2 = R$290
// SEGURO VIAGEM: R$100 x 2 = R$200
// PASSAPORTE: R$257,25 
// HOSPEDAGEM: R$40 (dia) - R$240 x 2 = R$480
// INSCRIÇÃO CONGRESSO: USD90 (por pessoa) - R$290 x 2 = R$580
// ALIMENTAÇÃO: R$80 (dia) - R$480 x 2 = R$960
// TRANSPORTE: USD8 (dia) - R$156 x 2 = R$312
// REMÉDIOS BÁSICOS: R$30 x 2 = R$60
// OUTROS: R$312 x 2 = R$624
// + 6,4% do valor para o site
// TOTAL: R$13.164,46

.: OBS.: As passagens podem ser substituídas por milhas!

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.
Elementos SVG

Curta e compartilhe nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados. 2020