Campanhas virtuais ajudam a salvar vidas

Escrito por: Alex Torrealba
Campanhas virtuais ajudam a salvar vidas

Com credibilidade, campanhas virtuais de arrecadação de recursos pela vida renovam esperanças e fazem sucesso. A importância do Sistema Único de Saúde e o suporte da saúde suplementar do Brasil representam muito quando tratamento e compras de remédios de alto custo são necessários para que a vida possa voltar a ser festejada. No entanto, a solidariedade transformada em doação vira protagonista em diversas dessas ocasiões, com a realização de uma vaquinha.

Para viabilizar esta iniciativa social de arrecadação de recursos via campanhas na internet, entra em cena o Vakinha, um dos sites mais conhecidos e qualificados destinados à arrecadação de dinheiro pela internet. Uma campanha que cumpre seu objetivo leva alento a famílias nesses momentos de grande sofrimento e apreensão, driblando em alguns casos a falta de esperança.

O problema é que, mesmo com a credibilidade do site, muita gente desconfia da iniciativa anunciada, achando que pode estar caindo em uma cilada e transformando uma carga que seria leve para a consciência em algo muito pesado e triste.

Credibilidade das campanhas

Diante disso, as precauções começam pelos próprios desenvolvedores da página. “O Vakinha faz de tudo para que isso não aconteça. O site dispõe de tecnologia e equipe antifraude muito robusta para realizar essa verificação com o criador”, afirma Luiz Felipe Gheller, CEO do Vakinha.

Não bastasse isso, o site dispõe de espaço para que o criador da campanha publique minuciosos detalhes e provas de que é real a busca por um novo amanhecer. Notas, exames e outros tantos itens envolvendo o drama de saúde são muito bem-vindos para que se comprove a veracidade da vaquinha e, assim, atraia o quanto antes a atenção de todos, pois um problema de saúde não espera por ninguém.

“É possível doar para a vaquinha até ela se encerrar. Quem faz esse encerramento é o criador da vaquinha. Portanto, pode doar após o prazo”, lembra Gheller, reforçando mais uma das possibilidades da página.

Saúde no Clube de Doadores

O Clube de Doadores é uma iniciativa de doação recorrente do Vakinha que une as pessoas que precisam de ajuda e aqueles que querem fazer a diferença. A pessoa contribui com o que pode – há doações avulsas e de assinantes - e ainda vê esses recursos transformando vidas. Com a saúde, um dos principais temas, ao lado de Educação e Animais, não é diferente.

“Algumas vaquinhas que cumprem os requisitos estabelecidos são selecionadas a fazer parte do Clube de Doadores. Essas campanhas se comprometem a disponibilizar os conteúdos para fazer a divulgação nos canais do Vakinha e atrair doações para o Clube. O dinheiro arrecadado mensalmente é repassado para as vaquinhas conforme a necessidade”, explica Gheller.

Em caso de assinatura, ela ocorre por tempo indeterminado. Todo mês a pessoa será lembrada da cobrança de sua doação e poderá cancelar a qualquer momento, sem fidelidade alguma.

Também é possível aumentar a quantia a qualquer tempo, bastando entrar em contato com o site www.vakinha.com.br. As doações avulsas podem ser pagas com PIX, cartão de crédito, boleto, Paypal e outras maneiras. Já para assinaturas, o valor só é desembolsado via cartão de crédito.

Para aumentar ainda mais a credibilidade da iniciativa, os membros do Clube de Doadores recebem mensalmente um relatório que mostra o total arrecadado, a destinação do dinheiro e o impacto que ele está gerando para as causas, tudo de forma muito transparente.

Vaquinhas de sucesso

A consolidação do trabalho do site Vakinha faz com que haja muitas histórias de sucesso, em especial envolvendo a saúde. Afinal, são mais de 15 anos no ar, levando em conta o surgimento da ideia inicial, ocorrido em 2006, e o lançamento oficial, três anos depois, em janeiro de 2009. Isso rende frutos não só para os criadores da campanha como também para a página, reforçando o status de alta reputação no setor.

Quando o assunto vem à memória, dois cases são emblemáticos nessa trajetória: “AME Joaquim” e “Cure a Marina”. Ambos viraram referências pelas altas quantias arrecadadas e a importância histórica.

No caso de Joaquim Okano Marques, mais de R$ 1 milhão foi obtido na plataforma em 2017. Com isso, ele conseguiu a possibilidade de compra de um remédio chamado Spinraza para tratar a AME, sigla de Atrofia Muscular Espinhal.

Trata-se de uma doença genética rara, progressiva e que, muitas vezes, leva o portador à morte, pois afeta as capacidades mais básicas de bebês, crianças, adolescentes e até adultos: caminhar, comer e, em última instância, respirar.

Para se ter uma ideia da transcendência da moléstia, a AME é a principal causa genética de morte em bebês e atinge em torno de um em cada 10 mil nascidos vivos.

Já Marina Ciminelli também foi diagnosticada com AME, igualmente arrecadou importância superior a R$ 1 milhão no Vakinha e foi a primeira bebê brasileira a receber em 2020 o remédio mais caro do mundo, o Zolgensma, com custo de R$ 12 milhões.

Com credibilidade e estrutura, o site torna-se um importante instrumento para unir as pessoas que precisam de suporte com as que podem oferecer o recurso. Resultado: a ferramenta consegue promover campanhas que salvam vidas. Para saber mais, acesse o site Vakinha.

Este texto foi produzido pelo Estadão Blue Studio