PATROCÍNIO PARA BAILARINA QUE IRÁ REPRESENTAR O BRASIL NA CALIFORNIA

ID da vaquinha: 5321
PATROCÍNIO PARA BAILARINA QUE IRÁ REPRESENTAR O BRASIL NA CALIFORNIA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 5.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

Apaixonada por ballet, Beatriz Priscila Oliveira Dolapci, de 12 anos, já colhe os frutos de sua dedicação à dança. Ela é bolsista em uma escola de ballet em Suzano e faz dança há três anos. Beatriz fez parte de um grupo de oito alunas que competiu com bailarinos de 16 países na Croácia. O grupo conquistou o terceiro lugar. Beatriz trouxe ainda o segundo lugar na apresentação em dupla, conhecida como pas de deux.

Agora a menina tem um novo desafio. Ela pretende ir para a Califórnia, nos Estados Unidos, participar de outra competição. O desafio não é só dela: a família precisa pagar as passagens, o hotel, o visto, entre outras despesas. A mãe de Beatriz, Márcia de Oliveira Caracciolo, apoia a paixão da filha. Ela se esforça para conseguir dinheiro, assim como fez com a viagem para a Europa. “Teve as rifas que eu fiz. Mas o forte é que procurei o líder da minha igreja que fez apelo lá e o povo da igreja ajudou.”

A mãe trabalha e mesmo assim ainda acompanha a filha nos ensaios e corre atrás de patrocínio. “Eu tenho algumas bolsas fornecidas pela diretora da escola que eu vendo por R$ 25. Ofereço para o pessoal da igreja, vizinhos. Tudo para a passagem. Também tenho brindes que uma pessoa me doou para eu fazer uma rifa. Preciso de R$ 5 mil até julho”, conta Márcia. Beatriz e a mãe não medem esforços quando o assunto é ballet. “Eu pego ônibus e demoro 30 minutos até o Centro. Já fui até a pé porque a gente não tinha o dinheiro da passagem. Andamos uma hora para não faltar”, diz a bailarina.

A professoa Bruna Martins reconhece o esforço da aluna. “O esforço dela na dança é desde o primeiro dia. Ela é batalhadora, vem de longe. Muitas vezes já veio a pé para o ballet. O que ela está colhendo é o fruto do que há muito tempo está se esforçando. As meninas participaram em novembro de uma seletiva onde foram chamadas várias pessoas do Brasil. Nessa seletiva ficaram em terceiro lugar e passaram para a etapa final, que será na Califórnia.”

A escola oferece 80 bolsas em diversas modalidade. “É um grande retorno para a gente. Porque são alunos dedicados e talentosos. A gente vê a alegria vindo dentro do coração deles quando dançam e levam o nome do país, da cidade e da nossa escola pelo mundo”, ressalta a dona da escola, Laudicéia Santos. TELEFONE PARA CONTRIBUIR: 2773-3947

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021