Vaquinha / Outros / Dinheiro

Junto com Juninho!

ID da vaquinha: 2011
Junto com Juninho!
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 2.700,02
de
Meta
R$ 2.975.000,00
Apoiadores
37
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens
Em agosto do ano passado, o Antonio Gleiber Cassiano Jr. (mais conhecido como Juninho), teve muitas dores na barriga e depois de uma cirurgia emergencial teve praticamente todo o seu intestino retirado. Ele foi diagnosticado com Síndrome do Abdômen Aguda, com necrose intestinal.Em seguida, o Juninho foi enviado pra Curitiba, para fazer um alongamento de intestino, mas os médicos viram que ele só tinha 10 cm de intestino (cerca de 5%) e era impossível realizar o procedimento. Os médicos orientaram que a única alternativa seria realizar um transplante de intestino.No Brasil, esse tipo de transplante foi realizado entre 4 e 6 vezes (os dados variam), mas sempre com morte dos pacientes. Absolutamente nenhum paciente sobreviveu ao procedimento no Brasil.A família do Juninho entrou na Justiça pra que o Juninho pudesse realizar o transplante nos EUA, onde o transplante já foi feito centenas de vezes, com taxa de sobrevida de 90%.A Justiça mandou equipes de médicos dos dois hospitais credenciados a fazer esse transplante aqui no Brasil, o HC e o Albert Einstein. As duas equipes confirmaram que o Brasil não tem condição de fazer o transplante, ainda que os hospitais estejam credenciados a fazê-lo.Em 12 de dezembro de 2014, a Juíza Alessandra Rodrigues, da 5ª Vara Federal, então decretou que o Governo Federal deveria pagar todos os custos da cirurgia. Nas palavras dela:

“Que a União auxilie o paciente e os pais dele a obter os vistos junto às autoridades norte americanas, inclusive solicitando urgência em virtude de sua grave situação de saúde, bem como valendo-se dos serviços diplomáticos.

Que a União providencie o transporte aéreo do garoto do hospital Pequeno Príncipe em Curitiba até o hospital dos Estados Unidos – em veículos aéreos e terrestres equipados com o aparelhamento necessário para a manutenção e suporte à sua vida.

Que a União providencie depósito em dinheiro que exige o hospital dos Estados Unidos, bem como adequada instalação dos pais, com o fornecimento de residência próxima ao hospital.”

Mas o que o Governo Federal fez foi lutar na Justiça para não custear nada, mesmo com o Juninho sem se alimentar normalmente há meses, correndo a cada dia que passa maiores riscos de vida.

Ao ver o não cumprimento do pagamento no prazo estipulado, a Juíza decretou multa de R$ 200 mil por dia para o Governo, que continuou sem dar satisfação alguma à família do Juninho.

Quando a multa chegou em R$1,8 milhão a liminar foi suspensa por uma segunda instância. Os advogados da família já solicitaram a prisão do Ministro da Saúde, mas desde então a Justiça vem protelando, enrolando descaradamente o julgamento, à espera que o Juninho morra. A data da audiência que vai decidir se o Juninho teria que fazer a cirurgia no Brasil ou nos EUA já foi adiada 3 vezes.

Nós, amigos e familiares do Juninho, vendo tamanha falta de consideração do nosso Governo e da nossa Justiça, decidimos agir por conta própria, baseados na fé, na esperança e na solidariedade, de que podemos, juntos, salvar a vida desse menino.

Milhares de brasileiros, de muitos lugares do Brasil e do mundo estão colaborando. Mas a quantia necessária é alta. Nós precisamos de:870 mil dólares para depositar na conta do hospital, sem isso o Governo dos EUA não libera nem sequer o visto para que ele possa entrar no país.

E 95 mil dólares para pagar a equipe médica.

Com a cotação do dólar, esse valor varia, e tem aumentado muito nas últimas semanas. Com a cotação do dólar a R$3,18 (do dia 31/03/15) temos o valor necessário de 2 milhões e 975 mil reais.

Cada um pode doar por este site ou diretamente na conta do pai do Juninho:Banco do BrasilTitular: Antonio Gleiber CassianoAg. 1723-XCC 12125-8CPF: 051.170.106-39

Diversas matérias de TV, vídeos e fotos de apoio já foram feitos para a campanha. Veja em www.facebook.com.br/juntocomjuninho

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.