Imigrantes Haitianos Retorno Para Casa

ID da vaquinha: 26193
Imigrantes Haitianos Retorno Para Casa
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 500.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens
Alta do dólar faz haitianos que vivem no Brasil planejarem volta para casa Com alta, valor enviado para parentes tem ficado menor. Desde terremoto que devastou parte do país, 58 mil haitianos vieram para o Brasil. O Brasil viveu nos últimos cinco anos uma onda de migração de haitianos que foi provocada pelo terremoto devastador que arrasou uma parte enorme do país. Mas agora, muitos desses haitianos estão planejando fazer o caminho de volta. Em Caxias do Sul, em uma casa vivem seis haitianos. Só três têm emprego. Simon Jean Baptisti não têm dinheiro para se sustentar e nem para voltar ao Haiti. “São R$ 6 mil para comprar passagem para fora do meu país. Entendeu? Como eu vou conseguir R$ 6 mil agora?”, questiona Simon. Já o Myke vive em Rio Branco, no Acre. Ele trabalha em uma copiadora e não está conseguindo ajudar a família que ficou por lá. “Muitos reais e pouco dólar”, afirma. Em Campo Grande, Moliére José está arrumando as malas. Ele decidiu voltar para casa. O operário veio tentar vida nova no Brasil ano passado. Deixou as filhas com a avó. “Tem que pagar escola para ele, pagar comida para ele. Tem que mandar dinheiro todo mês para ele. Não estou conseguindo dinheiro para mandar para ele”, diz o operário. A maioria dos haitianos que vive em Campo Grande trabalha na construção civil. Depois de receber o salário, eles precisam converter parte do dinheiro em dólar antes de enviar para os parentes que ficaram no Haiti. E com a alta forte da moeda americana, a quantidade enviada tem ficado cada vez menor. Desde o terremoto que devastou parte do país, em 2010, 58 mil haitianos já vieram para o Brasil, nas contas do Ministério da Justiça, parte imigrantes legais. O governo de Mato Grosso do Sul diz que está tentando encaixar alguns dos haitianos que moram no estado em programas sociais. “Uma verba específica para o atendimento para haitianos e refugiados nós não temos, também não temos regras para isso. O que tentamos fazer é inseri-los nas políticas que nós já desenvolvemos dentro do estado”, afirma a secretária adjunta de Direitos Humanos de MS, Elisa Cleia Nobre. Para Wadner talvez não dê tempo. Um ano atrás a mãe dele fez um empréstimo para pagar a passagem de Wadner para o Brasil e deu a casa como garantia, lá no Haiti. Agora o dinheiro que ele manda mensalmente não dá mais para pagar as parcelas do empréstimo. “A minha grande preocupação, para ela não perder a casa, porque totalmente ela depende de mim, do meu dinheiro que eu tenho que mandar para ela mensalmente”, conta o auxiliar de pintor Wadner Absalon.
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2022