Doação de Protesto para PMES

ID da vaquinha: 119442
Doação de Protesto para PMES
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 500.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

Verdades que o governo não conta.

Todos sabemos que o militares são impedidos por lei de fazer greve. Pois bem, se não podem fazer greve, como reivindicar atendimento aos seus direitos, melhorias das condições de trabalho e da remuneração? Dialogando, reunindo ordeiramente com os tomadores de decisão, certo? Então, isso é o que tem sido feito ao longo dos últimos anos, mas sem nenhum avanço. Os militares não reivindicam apenas melhorias para si, mas têm buscado, também, recomposição do efetivo, que está muito defasado, aquisição de equipamentos, viaturas armamentos etc., tudo que se reverte, em última análise, na melhor prestação de serviços.Chegou-se a um ponto que, após mais de 4 anos sem reajuste salarial, e também sem reposição real das perdas com a inflação, as famílias dos militares se vêm privadas de coisas básicas, sobretudo as famílias dos que estão no início da hierarquia, mas com reflexos em toda a categoria. Observe-se, por exemplo, que um soldado que recebe pouco mais de R$ 2.500,00 brutos mensais e reside em município distante do seu local de trabalho, gasta cerca de 30% desse salário só com transporte, e ainda precisa dar assistência médica a si e à sua família, alimentação, vestuário, medicamentos...imagina o que sobra! É por isso que é comum vermos policiais e bombeiros militares pedindo carona nas rodovias.O Corpo de Bombeiros, por exemplo, está com um efetivo mais que 30% menor do que o previsto, que já seria insuficiente. Então, os militares que estão no serviço ativo precisam se desdobrar em várias escalas para tentar dar o mesmo resultado que o efetivo completo teoricamente daria. Isso é política de segurança pública? Com a PMES ocorre a mesma coisa, e olha que os criminosos são muitos e ousados, perigosos, mesmo assim são combatidos heroicamente por nossos policiais, muitas das vezes em desvantagem numérica e de armamento. Por falar nisso, vocês observaram a quantidade absurda de marginais que apareceram nas ruas durante esse movimento, como ratos que saem dos bueiros em época de inundação? Pois é, esses bandidos não surgiram agora, eles estão por aí, são enfrentados todos os dias, todas as madrugadas, nas noites frias do inverno e nos dias ensolarados do verão, e acho que pouca gente se dá conta do que é esse enfrentamento. É por causa desse combate diário da PMES que conseguimos abrir nossos comércios, que conseguimos ir à escola, ao trabalho, ao cinema, à praia e não sermos assaltados como está acontecendo agora.Portanto, é legítimo, sim, o movimento das esposas, parentes e amigos dos militares do ES. Não me venha o secretário André Garcia posar de austero e querer desqualificar essa manifestação. Irresponsável e desalinhado da verdade tem sido ele ao afirmar que o governo tem dialogado...nunca dialogou, e não é apenas com a polícia e bombeiro militares não, esse governo também não dialoga com os professores e alunos, com a PC, com a oposição na Assembléia etc. Esse governo se acha acima de tudo e de todos, infelizmente. Esse mote ao qual se agarrou para se projetar na política regional e nacional, ou seja, o de Estado organizado, equilibrado e que paga os servidores em dia, não se sustentou porque não é suficiente.Se a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar, bases fundamentais da segurança, da paz e ordem social no Espírito Santo, saírem derrotados desse processo, derrotada será toda a sociedade porque essas instituições são patrimônios do Estado, da sociedade, não do governo.A Gazeta, bem...A Gazeta...continua tendenciosa quanto a essa manifestação das esposas, parentes e amigos dos militares estaduais, inclusive hoje fez questão de exibir vídeos que desabonam a credibilidade do movimento e incita a sociedade contra esse grupo, mas é bom que essa emissora saiba que a sociedade não é assim manipulável. Ninguém concorda com comportamentos equivocados como os que mostraram os vídeos, mas sabemos também que aquilo não reflete o movimento como um todo, que é legítimo, necessário.Secretário André, reprimir, ameaçar, esbravejar é fácil de fazer, difícil é se colocar na posição de líder e ser a primeira voz a buscar condições dignas de trabalho para os policiais e bombeiros. O secretário de segurança deveria exercer essa liderança, mas entendo que isso causaria mal estar com o Imperador e colocaria o cargo em risco, e ninguém quer perder a vaga. Então é melhor mesmo agir assim como temos visto.Não sou PM, nem BM, mas sou parte dessa luta por entender os reais motivos da manifestação e compreender o enorme valor dessas instituições.

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021