Cover sem t tulosss
Thumb bannerquemama

Vakinha de
Vilma Fazito Rezende
Belo Horizonte/MG

Contribuições para o ato Quem Ama Não Mata

Objetivo
R$ 10.600,00
Arrecadado
R$ 4.180,00
$ contribua

O movimento Quem Ama Não Mata surgiu em 1980, época da ditadura militar, e reuniu cerca de 400 mulheres para protestarem contra o feminicídio e a violência contra a mulher nas escadarias da Igreja São José, no centro de Belo Horizonte. Agora, em novembro de 2018 – 38 anos depois –, elas retornam para denunciar um cenário que nada mudou... mas, para isso, precisam da sua contribuição!

Criada em
11/10/2018
Encerra em
09/01/2019

Somos um movimento que se iniciou em 1980, época da ditadura militar, quando diversas mulheres foram assassinadas pelos seus companheiros. Os crimes ficaram conhecidos como passionais e os advogados de defesa dos acusados alegavam “legítima defesa da honra”.  Surgiu então, em Belo Horizonte, o Movimento Quem Ama Não Mata, que realizou um ato público nas  escadarias da Igreja São José, no centro de BH, para denunciar a violência sofrida por mulheres. O ato reuniu cerca de 400 mulheres de várias idades e inscreveu as questões de gênero na agenda de discussões da redemocratização do país. Além disso, Minas abriu caminho para todo o país criar as Delegacias de Mulheres e inúmeras instituições de defesa e proteção às vítimas violentadas.

Com o crescimento da consciência da mulher e de redes de proteção, foram sancionadas as Leis Maria da Penha e a Lei Contra o Feminicídio. Porém, com todas essas supostas conquistas, as mulheres continuam sendo vítimas de  feminicídios e outros tipos de violências, sobretudo as negras.

Tendo isso em mente, desde o final de agosto, o Movimento Quem Ama Não Mata vem se preparando para realizar um ato público contra o feminicídio. Ele será realizado no  dia 9 de novembro, sexta-feira, em frente à Casa do Jornalista, Av. Álvares Cabral, 400, no centro de Belo Horizonte, às 18 horas. Na oportunidade,  ocorrerão inúmeras manifestações políticas, artísticas e culturais em apoio às mulheres em situação de risco de violência. Vale lembrar que o #QANM é um movimento feminista, antirracista e essencialmente político. Somos contra qualquer tipo de discriminação religiosa, racial, capacitista, de gênero e de orientação sexual.

>> Aqui você acessa nossa página no Facebook: https://bit.ly/2IPlTya

Se você se identifica com este Movimento, participe com a gente dessa luta! Colabore conosco com qualquer quantia. Segue abaixo o orçamento para o evento:

. Taxas municipais:                                 R$3.500,00

. Brigadistas:                                                  400,00

. Mil camisetas:                                            2.100,00

. Logística e alimentação:                            1.800,00

. Transporte de participantes:                      1.000,00

. Contabilidade e serviços administrativos:  1.800,00

Total: ............................................................. R$10.600,0

$ contribua

Novidades (0)

Quem ajudou (34)

  • Carolina Macedo
    em 17 de Outubro de 2018

  • KÁTIA REGINA BÁO ROCHA
    em 17 de Outubro de 2018

  • Silvana Maria Leal Cóser
    em 16 de Outubro de 2018 diz: Vilma, por agora não posso contribuir com mais. Assim que possível faço nova contribuição.

  • anônimo
    em 16 de Outubro de 2018 diz: Avise-me o recebimento, por gentileza.

  • Vladimir Fazito do Vale
    em 16 de Outubro de 2018

  • Maria Cristina Bahia Vidigal
    em 16 de Outubro de 2018 diz:

  • anônimo
    em 16 de Outubro de 2018

  • Luciana Carneiro
    em 16 de Outubro de 2018

Denuncie

Iremos verificar sua denúncia e entrar em contato com o dono da Vakinha.