Vaquinha / Outros / Dinheiro

Andando pelo Leo

ID da vaquinha: 738
Andando pelo Leo
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
3%
Arrecadado
R$ 4.030,00
de
Meta
R$ 120.000,00
Apoiadores
35
Encerrada
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens

Olá galera, sou Leonardo Aranha de Matos, e preciso que me conheçam. Tenho 26 anos, moro em Campinas, SP, cheio de sonhos e muito para conquistar como é de se esperar na minha idade, inteligente, teimoso, ligadão na minha família e nos meus amigos, com a diferença de que tenho limitações e é sobre elas que desejo falar. Sou apaixonado pela vida e ainda que minha situação seja bastante difícil, não perdi a esperança e afirmo com alegria que a há luz na entrada do túnel.

Em 2008 iniciei o ano letivo no curso de Administração de Empresas com ênfase em Comércio Exterior, consegui um estágio e tudo caminhava dentro da normalidade, muitos amigos, familiares, verão e um daqueles domingos ensolarados, que a gente acorda agradecendo a Deus pelo nossa existência, mal sabendo que este seria o início de drásticas mudanças em minha vida.

 Era 16 de novembro de 2008, participei de um churrasco com meus amigos do colegial e quando cheguei em casa dei conta que havia esquecido a carteira na casa de uma amiga, e no percurso para recuperar meus pertences sofri um acidente de carro que provocou a chamada Lesão Medular Incompleta, afetando a C4-C5, que comprometeu seriamente os movimentos do meu corpo. Hospitalizado e entubado, por três meses, lutando contra as infecções hospitalares, passei por traqueostomia, e outros procedimentos nada agradáveis, já em boas condições recebi alta em janeiro de 2009, logo me deparei com problemas respiratórios que me forçou a voltar para o hospital por mais uma semana, enquanto isso minha casa era equipada com uma mini UTI e as instalações e equipamentos para a manutenção da minha vida, adaptação do banheiro, cama hospitalar, balão respiratório, tudo muito novo para nós que tínhamos que nos acostumar e aprender a lidar, inclusive com os enfermeiros circulando pela casa, cuja rotina foi totalmente alterada.

 Com a ajuda de amigos, em julho de 2009, conseguimos uma vaga e transporte para tratamento no Hospital Sarah Kubitschek em Brasilia, onde fiquei por um mês e foi lá que passei a ter mais consciência do meu corpo e aprendi a lidar com minhas necessidades fisiológicas. Aos meus pais foi ensinado a aplicar alongamento e fisioterapia, tive acompanhamento psicológico, terapia ocupacional e inclusive acesso a materiais que ajudaram muito com os exercícios.

Novamente em casa me adaptei a rotina e sempre as voltas com as escaras, que por conta da minha imobilidade, apareciam contrariando todos os esforços e cuidados dos meus pais, e foi nessa época que conseguimos tratamento em Campinas/SP, que ajudou muito a economizar nos gastos. Iniciei tratamento na Unicamp no laboratório de BIO Mecânica, fiz fisioterapia, exames com cardiologista, eletro estimulação com os membros superiores e inferiores. Participei também da Clínica de Reabilitação de Souza e fiz Equoterapia, pelo período de outubro de 2009 á abril de 2010.

Nunca desisti de encontrar novos tratamentos e cada notícia que lia sobre células tronco e assuntos relacionados, era motivo de alegria, até que encontramos a “Acreditando Centro de Recuperação de Lesão Medular”, e mais uma vez nos deparamos com o alto custo destes tratamentos, mas lá estava a oportunidade de reabilitar meus movimentos. Com a ajuda de amigos e familiares iniciei o tratamento em dezembro de 2010 que se estendeu até maio do ano seguinte.

Foi uma experiência maravilhosa que me trouxe alguns milímetros de movimentos, esperança e muita alegria, mas o tratamento teve que ser interrompido, pois não conseguíamos arcar com o custo além do transporte de ida e volta para São Paulo, mais uma vez o velho problema financeiro minando minhas chances.

Em todos os locais por onde passamos aprendemos muito e, assim adaptávamos a casa, que ficou com cara de clínica de reabilitação, para favorecer ao máximo os exercícios diários sem perder tempo, e mesmo com tudo que havíamos aprendido sempre me via as voltas com o inimigo número um de quem fica muito tempo acamado, as escaras.

E enquanto elas não curam e cicatrizam interrompe-se o tratamento, pois as dores são cruéis e algumas delas tiveram o tratamento alongado de maio de 2011 até janeiro de 2013, quando cicatrizaram e pude voltar a ser a acompanhado por fisioterapeutas, e iniciar acupuntura e os exercícios pesados. Nesta rotina cada um tem sua função, minha mãe é responsável por fazer meus alongamentos três vezes ao dia e meu pai ajuda com os exercícios pesados, movimenta meu corpo para evitar as escaras, massageiam meus pés e minhas mãos, perfeitos graças a essa atenção. Os cuidados com a minha alimentação regrada e balanceada, também é motivo de preocupação, minha condição exige atenções dobradas.

Graças a ajuda e empenho dos amigos adquirimos uma mesa ortostática, onde consigo ficar em pé, essencial para a circulação e descarregamento de peso, um tablado apropriado para alongamentos e exercícios fisícos, e equipamentos adaptados para exercícios dos membros superiores e eletro estimulação. Recentemente ganhamos uma esteira elétrica que complementa meus exercícios de marcha no equipamento de andador elétrico, que me permite ficar em pé e caminhar, ainda que monitorado, mas já é um ganho.

Seis anos e quatro meses se passaram e ainda é difícil aceitar e conformar-me com meu corpo inerte. A vida está passando diante dos meus olhos, meus pais estão envelhecendo, os primos já terminaram a faculdade, amigos se casaram enquanto luto por um milésimo de movimento, um centímetro, ou um milagre do qual jamais desisti, porque tenho fé, acredito em Deus e na ciência, e também acredito em mim, razão de estar aqui  contando minha história.

Já fui tomado por vários sentimentos, revolta, raiva e angustia, não nego, já pedi a Deus que me levasse, pois minha vida havia perdido a razão de ser, perdi os movimentos do meu corpo, mas não a capacidade de pensar e a sensibilidade para avaliar meu quadro clínico e minhas possibilidades, o que me sustenta é o amor dos amigos e familiares, e assim os maus pensamentos são esquecidos. Bom seria se existisse um manual de instruções para ser feliz com limitações, infelizmente não existe, e na raça fui obrigado a aprender a ser feliz, a aceitar os desígnios de um poder maior, exercendo diariamente gratidão por mínimo movimento, pelas feridas cicatrizadas, pela noite bem dormida, e pelo raio de sol que entra pela janela.

Um mundo especial nos foi apresentado e cuidadosamente explorado por mim e pelos meus pais que nunca deixaram acreditar que um dia ainda me verão andando pela casa. Não bastasse o duro aprendizado, esbarramos com outras dificuldades, com as quais não sabemos a lidar, foge do nosso controle, e não depende da nossa vontade e fé, o principal para a minha sobrevivência com dignidade, aquele que move o mundo: O dinheiro, aquele que não a traz felicidade, mas compra o tratamento, remédios, pomadas, sabonetes, alimentação, e equipamentos para melhorar meu dia-a-dia.

Leio nos olhos dos meus pais, o medo da falta de recursos, a insegurança do amanhã. Seguimos e sustenta-me o amor deles. Desde o acidente meu quadro evoluiu, já consigo sustentar o tronco parcialmente e recuperei o movimento dos meus braços, mas me falta o movimento de pinça e tenho sensibilidade praticamente no corpo todo.

Me retrai muito, me escondi com medo da mudança e pela dificuldade física, meus amigos não se foram, eu me fui.... Sinto falta de andar, da liberdade do ir e vir, sinto falta de vocês, mas não posso cobrá-los pedindo que venham quando a saudade bater, é uma estrada de via única e não posso retribuir, venham quando puderem.

Não ouso pedir que se coloquem no meu lugar, é pedir demais, deixa que essa eu seguro, mas preciso de vocês, preciso saber que posso contar com meus amigos e com quem mais quiser fazer parte da minha história e dar um fim diferente para ela. Sou eternamente grato  por tudo que consegui até aqui com a ajuda de vocês, da oração à ajuda financeira sem esquecer-me do carinho que me dedicaram.

Como já disse, minha luz está na entrada do túnel e ela chegou na forma de um tratamento que pode dar vida aos meus movimentos e melhorar minha qualidade de vida, é um tratamento em Portugal que utiliza células olfativas, e seu custo é de € 35.000,00 EUROS. Esse projeto é ligado ao Walkings EUA. A falta de recursos financeiros não me permitiu inscrever-me nesse programa, e até que seja possível sigo fazendo os exercícios em casa.

Sonho ir para Portugal buscar meus movimentos, minha liberdade e independência, mas essa viagem só será possível se mais uma vez puder contar com sua solidariedade financeira. Toda e qualquer contribuição é bem vinda para alcançar a soma necessária para o meu tratamento, o meu renascimento.

 Leo =]

Encerrada
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2022