Ajude Uma Mulher De Ferro A Recomeçar!

ID da vaquinha: 34895
Ajude Uma Mulher De Ferro A Recomeçar!
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 75.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens

Minha tia encontra-se em um estado terrível de dividas acumuladas, eu sabendo que o site vakinhas online é conhecido mundialmente por ajudar muitas pessoas nesse estado, pedi a ela que escrevesse em resumido, toda sua historia de vida. No intuito de ajuda-la, mesmo ela não sabendo, disse a ela que era para mandar para um sorteio que realiza sonhos, acreditando nisso ela resolveu escrever. Desde pequeno sempre soube que ela era uma mulher muito batalhadora, e que não teve uma vida muito fácil. Abaixo está a carta que ela mesma escreveu:

Não tive uma infância nada fácil, vim de uma família de quatro irmãos e mãe solteira, passamos muitas dificuldades e privações, mas nunca chegamos a passar fome, pois apesar de tudo, minha mãe fazia possível e o impossível para isso que isso não acontecesse. Tive uma juventude muito conturbada, talvez por não ter a presença do meu pai, que estava sempre distante. Aos meus 16 anos, perdi meu pai por vitima de um infarto, se só o ter uma vez ao ano já era difícil de aceitar, não o ter mais, era inaceitável. Mas o pior ainda estava por vir. No ano seguinte minha mãe descobre uma doença rara nos pulmões (Esclerodermia-Sistêmica-Progressiva), não foi nada fácil, mas aos poucos fomos superando, sempre cuide de minha mãe sozinha, não tinha muito apoio de meus irmãos mais velhos, que podiam e tinham condições de me ajudar e não me ajudavam, apesar de tudo não guardo rancor deles, entendo que eles já tinham família e eu era solteira e Deus sempre me dava forças para prosseguir. Quando tudo já estava terrível, após dois anos de forte tratamento, em uma cidade de 400 km de distancia da minha, o pior acontece, minha mãe descobre um novo câncer no útero, depois disso foi só quimioterapia, radioterapia e braquioterapia, esses tratamentos só pioraram o seu e o meu sofrimento. Por fim, aos meus 19 anos, minha mãezinha veio a óbito, desde ai, fiquei sem chão. Perdi meu pai, minha mãe, e ainda sobre meu irmão de 14 anos para eu cuidar, e me fazer companhia, ainda sofremos muito com as recordações, mas conseguimos superar essa fase de nossas vidas, com muita ajuda de Deus.

Os meses foram se passando e no mesmo ano encontrei alguém que me fez feliz e me faz feliz até os dias de hoje, e que me ajudou a superar tudo, meu atual marido César. Após um ano juntos, engravidei e tive o maior amor de minha vida, meu filho Ramon. Quando meu filho já estava com quatro meses, minha avó, que já havia enterrado três filhos e morava sozinha, descobriu cinco tumores no útero muito avançados, a não ter a quem recorrer  ajuda, teve que vir morar comigo, eu aceitei tranquilamente, foi foi ela que mais nos amparou nos momentos difíceis, e agora tina chegado a hora de eu retribuir. Era como se estivesse dois bebes para cuidar, eu tinha que dar banho, trocar suas fraldas, enfim, fazer quase de tudo, apesar de ela ser aposentada, seu dinheiro ia quase tudo em fraldas e medicamentos, que por sinal eram muito caros, não era nada fácil sobreviver com o pouco que tínhamos. Durante quase um ano e meio foi assim, mas nunca abri minha boca para reclamar ou ofende-la, pois sempre fui e sempre serei muito grata ao amor que ela nos deu. Após muitas seções de quimioterapia, ela que já tinha 84 anos, não resistiu e veio a óbito. Nos primeiros dias, minha casa parecia meio estranha sem sua presença, sentia muita sua falta ali conosco, desde o café até o jantar, ainda sinto muito sua falta. Mais uma vez era somente eu, meu filho, meu marido, meu irmão, e muitas dividas que acumularão pois na não podia trabalhar, por que passava a maioria do tempo ao dispor dos dois, cuidando e dando amor, e somente meu marido trabalhava, apesar de que agora já trabalho, as dividas ainda não acabaram e estão de acabar, pois são muitas.

Meu marido trabalha como autônomo, às vezes tem serviço, às vezes não tem, mas isso não nos deixa faltar nada, pois arrumei outra maneira de complementar nossa renda, vendo pastéis, para os funcionários de algumas empresas de minha cidade, graças a deus todos sabem de minha historia, e sempre que podem compram pasteis para me ajudar. Atualmente estamos felizes, depois de tudo que passei, consegui me formar no terceiro ano do ensino médio, temos casa própria, ainda inacabada. Única coisa que queríamos no momento é terminar nossa casa, e abrir uma mini lanchonete nela mesma, para que assim possamos dar mais atenção ao nosso filho, atenção essa que não tivemos, mas que o pouco que tivemos, serviu para nos formar as pessoas que somos, honestas, trabalhadeiras, enfim pessoas de bem.  

Agradeço de coração quem puder ajuda-la com o futuro de sua família, se eu tivesse condições já teria ajudado a muito tempo, mas não tenho, então pedi a Deus que tocasse no coração de vocês e tenho certeza que ela tocou... Deus te dará em dobro... Amém. 

AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2021