Vaquinha / Outros / Dinheiro

Ajuda Pedro Jorge

ID da vaquinha: 63428
Ajuda Pedro Jorge
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
3%
Arrecadado
R$ 1.380,00
de
Meta
R$ 50.000,00
Apoiadores
8
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Mensagens
Olá, meu nome é Paula Regina, tenho 33 anos, sou mãe de 3 filhos, e o mais novo se chama Pedro Jorge, hoje com 4 anos de idade. Pensei muito se iria ou não escrever isso aqui, só que não compartilhar é me privar de uma ajuda que talvez alguns de vocês possa me prestar... Quem me conhece sabe tenho um filho autista de 4 anos chamado Pedro Jorge. O autismo é uma condição crônica, caracterizado pela presença de importantes prejuízos em áreas do desenvolvimento, e por esta razão o tratamento deve ser contínuo e envolve uma equipe multidisciplinar. Uma boa intervenção consegue reduzir comportamentos inadequados e minimizar os prejuízos nas áreas de desenvolvimento. Pois bem, há 1 ano e 5 meses meu filho foi diagnosticado com TEA (Transtorno do Espectro Autista) pela Neurologista Dr. Maria Rozivera, e daí se deu início a um tratamento na Fundação Altino Ventura, no bairro de Iputinga (por sugestão da própria neurologista, que também atua lá). Entretanto ele só é acompanhado quinzenalmente,e de 1 ano pra cá Pedrinho foi regredindo, vindo a ter muitas crises, colapsos nervosos e agressividade, não aceitando nem entrar no prédio da Fundação Altino Ventura. Foi ai que a equipe médica que o acompanha se reuniu para debater o que seria feito para ajudar Pedrinho, e nessa avaliação foi solicitado pela neurologista que procurássemos um psiquiatra, mas Pedrinho está sem plano de saúde e uma consulta particular com um psiquiatra custa em média R$ 600,00 (e infelizmente na Fundação Altino Ventura ainda não tem esse profissional). Fomos orientados a procurar postos de saúde e CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), mas tudo sem sucesso... Aí vem meu pedido de ajuda, os custos do tratamentos são altos e não podemos custeá-los, pois com a crise que o Brasil vem sofrendo o pai dele foi demitido em Agosto do ano passado, o que nos fez cair de um padrão onde tínhamos uma vida estável. Não trabalho, pois minha vida se resume a cuidar do meu filho que é totalmente dependente, faz uso de fraldas, ainda não fala, tem um comportamento bastante difícil e é complicado lidar com ele, pois ele resiste em aceitar outros cuidados. Corremos atrás de todos os benefícios que ele poderia ter do governo, mas a única coisa que conseguimos até agora foi fazer um passe-livre no transporte público. Ontem em uma consulta, a fonoaudióloga e a terapeuta ocupacional solicitaram que procurássemos alguma instituição que faça uso do método em ABA (Applied Behavior Analysis - Análise do Comportamento Aplicada). A metodologia ABA é um programa intenso e seus procedimentos são constantes e padronizados, devendo ser feito de 20 a 30 horas por semana. Vale ressaltar que lá na Fundação Altino Ventura o método usado é outro, e como ele precisa de um acompanhamento mais intenso de disciplina não está obtendo um resultado satisfatório, já que meu filho foi diagnosticado com autismo de alto funcionamento a grave e os que convivem comigo sabem o quanto é doloroso. Pedrinho fazia uso de um medicamento chamado Risperidona de 1,0 mg, e com as crises intensas a neurologista decidiu trocar a medicação para Olanzapina de 2,5 mg administrado em 2 comprimidos ao dia (onde vale chamar atenção que é um medicamento de uso adulto e muito forte, e ainda assim as crises continuam). E na busca dos recursos do governo não conseguimos a doação de fraldas (pois as fraldas só são doadas gratuitamente pelo governo para pessoas com necessidades especiais que residem no município de Recife e atualmente residimos em Jaboatão dos Guararapes). Devido a seu tamanho, Pedrinho precisa de fraldas geriátricas, que custam de 26 a 27 reais o pacote com 8 unidades e que só duram no máximo 2 dias; o medicamento custa em média R$ 120,00 (caixa com 30 comprimidos) e ele precisa de 2 caixas por mês, fora outras despesas de alimentação dele que tentamos o máximo fazer a dieta sem glúten porém é tudo muito caro. O objetivo desta publicação é tentar compartilhar ao máximo com os amigos na rede social no intuito de se possível chegar nas pessoas de bom coração e que puderem ajudar...Sei que muitas pessoas devem passar por situação parecida e até bem pior com seus filhos, e sei como é angustiante não encontrar recursos para dar o essencial para eles... Estou aqui contando essa história publicamente para unirmos forças no sentido de ajudar com solidariedade meu filho, um menino lindo dono de um sorriso encantador, alegria de todos que convivem com ele. Estamos lutando incansavelmente na procura de um apoio para o tratamento e despesas de Pedrinho (que tem um custo muito alto e não dispomos infelizmente de recursos financeiros para custear todas as despesas). Pedrinho precisa de colégio, atividade física, fraldas, medicamentos, dentistas, nutricionista, fono, psiquiatra, terapeuta e esse tratamento em ABA. Desde já agradeço à todos a atenção e a disposição de ler todo este texto. Espero que essa mensagem sirva também para ajudar outras crianças e adolescentes que estejam enfrentando alguma dificuldade similar...
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2022