Lista de Presentes Anna Clara & Rodrigo

ID da vaquinha: 51516
Lista de Presentes Anna Clara & Rodrigo
Você não possui corações!
Clique aqui para comprar.
0 coração recebido
COMPARTILHE ESTA VAQUINHA
URL copiada!
0%
Arrecadado
R$ 0,00
de
Meta
R$ 10.000,00
Apoiadores
0
  • Sobre
  • Novidades
  • Quem ajudou
  • Corações Recebidos
  • Mensagens
# Sobre Rodrigo:Thumb dscn3441 1824x1368Bom minha gente, nós nunca somos bons quando falamos de nós mesmos. Mas mesmo assim vou tentar:Já dizia minha mãe que eu sempre fui uma criança muito feliz. Quando acordava cagado e mijado, acordava rindo, não sei porquê mas acredito que seja pois me sentia arteiro, fazendo besteirinha. Por falar em Arteiro nossa mamãe dizia que eu vivia no meu mundo imaginário e fazia várias histórias do estilo "não existe chão". Pois passava pela casa toda sem fazer tal coisa. Não me perguntem como pois não lembro. Sempre gostei muito desse tipo de brincadeira que faz menção ao corpo e espaço. Por isso deve estar enraizado em meu ser e eu sempre amei  fazer coisas relacionadas com o corpo. Por isso desde pequeno comecei a fazer Capoeira, Dança e desde então não consegui parar.Se me  perguntarem quais são minhas características? Eu diria que a principal delas que sou verdadeiro, tenho um coração bom e sou muito persistente nas coisas que quero em minha vida. Tento ser o mais justo possível com todos. Eu não posso esquecer do seguinte fato: Sou muito simpático! Tenho amigos que brincam (ou não) com raiva de mim por gostar de falar com todo mundo e sempre com muito carinho. # De Rodrigo sobre Anna Clara:Thumb 64688 300106870056531 555848759 nBom o que falar de Anninha? Ela é uma mulher fascinante que me cativou com o seu jeito zeloso de ser. Uma mulher de coração enorme, que se preocupa com as pessoas e com os animais ( se bobear mais com os animais do que com as pessoas ). Carismática, fofa, com seu jeito único de lidar com as coisas. Pelo que sei sempre foi ligada com esportes, dança e tudo ligado ao corpo, também e gosta de ter sua liberdade para ser quem ela é ( e para que eu iria querer mudar isso? Ela é tão linda!! ). Gosta de desbravar o mundo conhecendo as mais belas paisagens e as mais diversas culturas. Fala pra caramba apesar de contrastar com seu lindo ar tímido de ser. Quer sempre fazer alguma coisa para mudar o mundo e gosta do novo....Se  me perguntarem quais são as qualidades dela não vou ter tamanhas palavras para descrever. Mas posso tentar...bom a Anna Clara é: zelosa, companheira, meiga, divertida, charmosa, tímida, charmosa, apaixonante, companheira, divertida. Pera ai, me perdi em tanto apreço...bom resumindo: Ela é o que eu não mais esperava encontrar em alguém e agradeço a Deus pelo simples fato dela existir em minha vida. Vou ser eternamente grato a isso.# A culpada: Thumb 12417940 1027212464006247 3187201385258221861 n                                   WANTED!Só pra constar quem teve grande culpa no cartório sobre isso....# A cúmplice:Thumb 12540644 10205879098804219 496211390743658584 nDescobridora de números de dedos!   # Nossa História:  Thumb 2016 01 05 100329 1É uma história atípica de todas as outras e muito engraçada, simplesmente pelo fato de termos nos conhecido em dias diferentes.Bem vamos começar. Como já descrito antes nós dois gostamos muito de dançar, não poderia ser diferente de termos nos encontrado pela primeira vez em uma bela noite de Outono e de muito forró. Depois de eu ter me acado dançando muito numa quarta feira qualquer, fui me despedir de uns amigos que estavam fora do Convés conversando ( Olha eu sendo muito sociável ) e quando fui me despedir de um amigo nosso em comum, "PAM", ela quase caiu e eu não pude perder a piada que me veio como um estalão. " - Calma, eu só estou me despedindo". Todos riram e eu me recolhi a minha humilde residência.Eu posso contar nos dedos de uma mão mão quantas vezes a encontrei lá com esse nosso amigo em comum, e para falar a verdade algo muito forte tinha me chamado atenção nela, mas como acho patético isso ( Flertar com a pessoa que o amigo está) segui em frente com minha vida. Em um desses dias quentes de forró ele veio me abordar falando que a menina que ele estava ficando estava cheia de amigas para eu dançar e me levou até ela. Falou a ela para me apresentar uma amiga para poder dançar e claro que tinha que ser gatinha. Depois desse dia não há vi por duas semanas mais ou menos. Até que numa daquelas quartas feiras de todo sempre, cuja eu tinha chegado cedo e tinha deixado o celular em casa pois estava estressado e tinham pessoas me aporrinhando. Ela veio até mim perguntando se eu não era o amigo do Sávio e se eu tinha visto ele. Depois de algum tempo de conversa, de eu ter falado um pouco sobre mim ( capoeira, dança e minha nova paixão que estava iniciando na época a tal da AcroYoga ), ela me chamou para dançar. Tadinha, segundo ela nunca tinha me visto dançar antes. Não sei como né, mas tudo bem. rsFoi ai que tentamos trocar contato, mas como sou péssimo para guardar nomes já a avisei. Devo ter perguntado no mínimo umas 5 vezes o nome dela para adicioná-la no Facebook, devido nós dois estarmos sem o telefone no dia. Até fiz uma ridícula piadinha para eu gravar mais fácil. Do estilo Anna Clara/Anna Escura. Que agora não ia esquecer. Então, esqueci!O engraçado de tudo isso é que ela me diz até hoje que para ela nós nos conhecemos quando ele nos apresentou e não no dia em que ela quase caiu da cerca. ( Clarinha sendo Clarinha ). Depois desse história controversa do dia em que nos conhecemos quase um mês depois ela me adicionou no Facebook através desse nosso amigo em comum. Trocamos telefone, marcamos de nos encontrar para ela fazer um treino de capoeira junto comigo. Oque para ela era para conhecer a tal da Acroyoga. Depois de alguns encontros como amigos nós começamos a ficar mais próximos e ela já não estava com mais ninguém. Daí começou o tal do MENTO, do surgir um sentimento até o primeiro beijo. Para ser Franco com vocês não me lembro quanto tempo demorou, mas posso afirmar que foi muito rápido. Aí surgiu o primeiro obstáculo que nos pôs em prova de ficarmos ou não juntos. Essa fase eu chamo de nossos Traumas.Essa foi a prova mais difícil que passamos, pois foi nela que nossos traumas de relacionamentos surgiram. Depois de termos passado uma noite muito agradável e divertida na casa da Belinha ela veio me cobrar de forma equivocada porque eu estava sem entrar e contato com ela há dois dias. E eu expliquei que eu estava nervoso, pois ia fazer uma operação séria e que estava cheio de coisas na cabeça. Ela entendeu perfeitamente e me pediu desculpas. Mas devido aos meus traumas comecei a ficar arisco com relação a ela. Ficamos um tempo sem nos falar e acabou que minha cirurgia foi adiada. Foi até que em um belo dia de curso da AcroYoga, que eu estava sendo monitor, acabamos nos encontrando e voltamos a sair. Mas eu ainda estava com pé muito atrás e ela querendo de alguma maneira me conhecer melhor. Foi quando em um dia que eu estava com a pá virada, agora sim vésperas de minha operação, fui muito rude com ela pelo whatsapp ( coisa que não acho certo e que depois quis  consertar ). Com isso ficamos um tempo sem nos falarmos, mas mesmo depois disso ela não deixou de se preocupar comigo e querer saber se eu estava bem. Tudo isso foi através de uma amiga do meu irmão que lhe passava as informações.Quando eu tive alta alguns amigos vieram me visitar e na visita do grupo da Acro ela veio aqui em casa me ver e saber se eu estava bem. Ai vi uma oportunidade para conversarmos direito o que se passou. Ainda mais porque tinha uma pessoa toda hora falando no meu ouvido que Clarinha era especial demais, que era para eu dar uma chance para ela. Que ela via o quanto ela gostava de mim. que formaríamos um lindo casal. Não é mesmo Isabela Lima? Vulgo a Culpada!Depois disso tudo, nos entendemos e começamos a namorar...# A decisão / O pedido Thumb 10632610 963696613706301 4680372451003238198 nNesta parte vou contar como foi que ocorreu a ideia de casamento e de como arquitetei o pedido de casamento.Quando começamos a namorar eu já estava de viagem marcada para a Europa. Fazer um TRIP esse mundão afora. E ela foi super compreensiva e me deu muito força para tal.Mesmo eu tendo viajado nós estávamos e ficávamos cada vez mais próximos um do outro e nos falávamos sempre que dava para contar as novidades. Eu estava curtindo muito minha viagem que fiz sozinho, desbravando a Europa. Foi quando me dei conta que não estava só. Ela estava comigo a viagem toda só não estava de corpo físico.Foi quando em Mallorca, para ser mais preciso esperando o ônibus para conhecer Soller e decidi que queria passar o resto da minha vida ao lado dessa baixinha sensacional. Aí comecei a buscar na internet o valor das alianças e achei um ótimo site, que eu recomento para a compra de alianças, onde fiquei em dúvida em três lindas alianças. Foi ai que pensei logo na Culpada para que me ajudasse nessa empreitada. Mostrei as três alianças para ela para ter uma opinião feminina de gosto de aliança. Mal sabia ela que eu já tinha escolhido e só queria ter a certeza.Agora com o modelo das alianças escolhidos, fui dar um rolê pelo centro de Mallorca para descobrir o número do meu dedo. Enquanto isso incumbi a melhor amiga dela( pelo menos que eu conhecia) de descobrir o número de seu dedo para poder fazer o pedido das alianças. Ela não sabia, mas disse que iria descobrir, visto que Anna iria dormir na casa dela depois de sua despedida de solteira. Ela só não contava de beber tanto e de nem conseguir terminar a despedida que seria na Boate Casa. Mesmo assim ela lembrou de pegar o número do dedo de Anninha. Aí foi que senti firmeza nessa tal Cúmplice.Quando eu cheguei de viagem Anninha fez uma festa surpresa que quase estragaram por duas vezes. Com alguns bons amigos meus ( pelo menos os que ela conhecia ). Aí não tem como não se apaixonar mais por essa mulher!! Foi tudo tão perfeito. Que decidi ai fazer o mesmo por ela. Comecei a arquitetar minha vingança maligna e tinha que ser algo inesquecível. Só não sabia onde. Pois a data já estava em minha mente 01/01/2016. Pois nesta data seria o marco zero de toda história ruim que passamos em nossas vidas, dando um ponto final para podermos começar a escrever nossa história, juntos, a que lutamos para que dê certo. Foi ai que novamente a Culpada entrou em ação ( esta vendo a sua importância nessa história? ). Ai como o povo da Acro iria passar o Réveillon juntos num lugar magnifico chamado Vila Açú em Correa. Aí eu comecei a perguntar para a Culpada como era lá, como eu poderia fazer e comecei a ver as mais diversas possibilidades do pedido.Mas como Anninha não saía aqui de casa e a Culpada não tinha ideia de como seria lá e ela teria que conversar com os organizadores. Decidi que faria o que sei fazer de melhor. Improvisar!Chegando lá, depois de ter montado sozinho minha barraca ( devido alguém ter ido dar um oi pro pessoal que quase não demorou, só montei a barraca nesse tempinho ), fui dar um rolê pelo lugar e assim decidir a melhor forma. A Culpada querida que eu fizesse na frente de todo mundo, que eu parasse a festa de Réveillon e fizesse o pedido. Mas achei melhor não! Pois preso que esse tipo de coisa, a principio, tem de ser mais íntimo e joguei nas mão de Deus que seria da forma que ele quisesse.Quando estávamos nos arrumando para a divertida noite de Réveillon e eu tinha que pegar as alianças na mochila eu falei para ela pegar uma coisa para mim do outro lado da barraca e quando ela virou eu já meti a mão na mochila e coloquei a caixinha em meu bolso para que pudéssemos ir tomar banho. Quando chegamos lá no salão. Começamos a nos divertir e brincar com nossos amigos. Quando se aproximou da virada do ano e iniciou a contagem imaginei que agora era a hora de dar tudo certo. Como a fogueira que teria tinha ido por água a baixo, literalmente. Tiveram fogos e todos foram para frente da sala para poderem ver. Foi quando me deu um estalão e vi que a porta traseira estava livre e sem ninguém. A chamei e fomos ver do lado de fora do Salão com uma vista privilegiada, onde só tinha eu e ela.Foi quando vi uma pedra que tinha uma luz verde a iluminando. Chamei a Anna e comecei a improvisar. Pedi para que ela sentasse na pedra, pois queria fazer uma oração por aquele lugar magnifico e por todo ano que se passou e pelo ano que iria se iniciar. Agora começa a ultima fase chamada O Pedido. Com ela sentada na pedra e eu agachado em sua frente segurei as mãos dela e comecei a fazer a oração. Agradecendo o ano que se passou, de eu ter conhecido ela. Agradecendo o carinho que a família teve por mim e os cuidados/preocupação que minha sogra tem por mim. Agradecendo a saúde e pedindo muito mais das nossas famílias. Foi quando eu comecei a fazer menção a ela. Agradecendo o carinho de todo sempre, por ser essa pessoa especial que ela é, pelo zelo dela comigo, pela paciência que teve com minhas frustrações e cicatrizes. E que naquele momento especial e sereno queria fazer uma pergunta do fundo do meu coração e queria que ela me respondesse com toda sinceridade possível. Foi quando tentei tirar a caixa das alianças do bolso e não saia de jeito de maneira. Ela confirmou mas já estava achando estranho pois eu estava começando a gaguejar pois não estava saindo de jeito nenhum do meu bolso. Rapidamente tentei ser cômico, pedi para ela fechar os olhos mas eu tinha que levantar um pouco pois sabe como é né? A idade esta chegando e eu estava ficando muito velho não conseguindo ficar muito tempo agachado. Quando consegui agachei novamente e foi ai que eu perguntei para ela se ela queria ser minha pra sempre ai coloquei a caixinha das alianças na mão dela e abri ela sorriu e disse sim. Acredito que ela não tenha entendido pois ela disse sim com uma tranquilidade enorme. Mas quando eu iluminei a caixinha que contia um cordão de coração de prata e duas alianças ela se espantou e perguntou se eu tinha certeza. Pois eram de ouro. Falei que sim e fiquei aguardando a reação dela. Não precisei aguardar muito pois ela já falou desconcertada: "- Ai meu Deus, Estou passando mal. Senta aqui do meu lado, pois estou passando mal." ai eu ficando nervoso perguntei, fala alguma coisa. e ela tornou a dizer que estava passando mal. Ai brinquei outra coisa, pois isso você já disse. Depois de ele muito me assustar ela disse sim! Acho que ela não sabe da merda que fez. Mas ela disse sim e agora estamos aqui prestes a nos casarmos. Um adendo, olha porquê demoramos para voltar para o salão...Thumb 2016 01 01 002722Viram porque fiquei nervoso? Agora sabem o porquê ela demorou para sair e dizer sim! rs
AVISO LEGAL: O texto e as imagens incluídos nessa página são de única e exclusiva responsabilidade do criador da vaquinha e não representam a opinião ou endosso da plataforma Vakinha.

Todos os direitos reservados. 2022